Depois de Brasil e França, Canadá sofre com trigo
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,116 (0,15%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,05%)

Imagem: Marcel Oliveira

MUNDO

Depois de Brasil e França, Canadá sofre com trigo

"A maioria das áreas das regiões Nordeste, Noroeste e Peace recebeu apenas 15-20 mm de chuva"
Por: -Leonardo Gottems
245 acessos

Algumas das principais regiões agrícolas do Canadá receberam chuvas com níveis baixos recordes desde o início de setembro, permitindo que a colheita progredisse rapidamente, enquanto a produção de culturas estava acima ou em linha com as médias, disse o Ministério da Agricultura canadense em seu relatório semanal. Foi isso que afirmou a TF Agroeconômica citando o Agricensus. 

Algumas áreas de Alberta, a segunda maior região agrícola em produção, receberam volume recorde de chuva baixa ao longo do mês. "A maioria das áreas das regiões Nordeste, Noroeste e Peace recebeu apenas 15-20 mm de chuva, o que foi extremamente baixo, com a probabilidade de acontecer uma vez em 25 a 50 anos. Para uma grande área dentro dessas regiões, a precipitação tem sido ainda menor, com a probabilidade de uma vez em 50 anos", disse o ministério. 

“Isso ajudou a colheita a progredir para chegar a 90% completa na semana até 6 de outubro, o que é 29 pontos percentuais à frente do resultado do ano passado para o período correspondente, e 20 pontos à frente da média de 10 anos. Na semana, a safra avançou 22 pontos em relação à semana anterior. Os rendimentos pioraram um pouco, mas ainda estavam acima das médias de cinco e dez anos, com rendimentos de trigo em 3,62 t/ha, cevada a 4,98 t/ha e colza em 2,71 t/ha, enquanto a qualidade da maior parte das principais culturas colhidas foi avaliada como alta”, completou a consultoria. 

O ministério também publicou sua segunda estimativa de grandes rendimentos agrícolas, fixando a produção de trigo de primavera vermelho dura em 3,09 t/ha, a produção de durum em 2,56 t/ha, cevada a 4,44 mt/ha e colza em 2,42 mt/ha. "Os rendimentos  estão  em  torno  da  média  e  são  relativamente  semelhantes  às  estimativas  relatadas  no  início  de  setembro. Houve  alguns relatos de perda de rendimento causada pela falta de umidade e altas temperaturas no início do verão", disse o ministério. 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink