Algodão

Desenvolvimento do algodão é satisfatório na 1ª quinzena de abril

Chuva irregular que ocorreu nos últimos dias, fez com que alguns lugares não tenham registrado instabilidades
Por:
31 acessos

Na quinta-feira (05), a presença de uma frente fria sobre o Sudeste deixou o tempo instável sobre grande parte das regiões produtoras de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Com isso, o dia foi marcado pela chuva na forma de pancadas, mantendo os solos com níveis razoáveis de umidade e beneficiando o desenvolvimento das lavouras de 2ª safra.

A chuva irregular que ocorreu nos últimos dias, fez com que alguns lugares não tenham registrado instabilidades. Ainda é cedo para falar em perdas ou reduções nos potenciais produtivos das lavouras, mas é fato que esse padrão meteorológico deixa muitos produtores apreensivos.

No centro-sul do Brasil, o dia continua sendo marcado pelo tempo aberto e sem previsão para chuva. A exceção é para o extremo leste dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo, em que há previsão de chuva na parte da tarde, por conta da umidade levada pelo vento do oceano.

Colheita do milho e da soja

Nas regiões produtoras da Região Sul, de São Paulo e Mato Grosso do Sul, o tempo permanece aberto, sem previsão de chuva e deve continuar assim ao longo dos próximos cinco dias. Mesmo com o tempo mais aberto no Sul, as condições ainda serão positivas para o desenvolvimento das lavouras de 2ª safra e para a realização dos trabalhos de colheita da soja e do milho, que seguem avançando no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

Como os corredores de umidade continuarão, predominantemente, posicionados sobre o centro-norte do país ao longo de toda primeira quinzena de abril, a previsão é que as áreas venham a receber bons volumes de chuva durante o período. Isso será suficiente para favorecer o pleno desenvolvimentodas lavouras de milho, feijão, algodão, cana de açúcar e café. As colheitas da soja e do milho irão ocorrer sem grandes problemas no Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, onde as médias de produtividade deste ano estão superando as perspectivas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink