Dia de Campo mostra tecnologias para a cultura do melão na Bahia

Agronegócio

Dia de Campo mostra tecnologias para a cultura do melão na Bahia

No local, os produtores, técnicos, professores e estudantes observaram o desempenho do melão produzidos de três formas diferentes
Por: -Redação
14 acessos

Pesquisadores da Embrapa Semi-Árido promoveram nessa quinta-feira (23-11), o Dia de Campo sobre “Novas tecnologias para o cultivo do melão”. O evento foi realizado em uma área de testes do Campo Experimental de Mandacaru, em Juazeiro – BA. No local, os produtores, técnicos, professores e estudantes puderam observar o desempenho do melão produzido de três formas: do modo tradicional, com o uso da irrigação por sulco; usando a fertirrigação de acordo com as normas técnicas da Produção Integrada; e combinando a fertirrigação com o cultivo protegido.

Os três testes que foram demonstrados no campo representam a evolução das pesquisas realizadas na Embrapa Semi-Árido para o desenvolvimento da cultura. Em uma comparação entre o cultivo sob o sistema convencional e o fertirrigado os resultados foram muito diferentes: os plantios manejados com a fertirrigação, além de economizarem na quantidade de água e nos adubos químicos, tiveram aumento no rendimento de 12 t/ha e os frutos ultrapassaram em uma semana a vida útil de armazenamento, afirma o pesquisador Nivaldo Duarte Costa, da Embrapa Semi-Árido.

Mais produção

A redução no uso de adubos é bem expressiva. No caso da uréia, o cultivo tradicional aplica cerca de 376 kg/ha. Quando usada via água de irrigação, a quantidade necessária ao bom desenvolvimento do plantio diminui para 156 kg/ha. Outro adubo importante no manejo da cultura, o cloreto de potássio, também é reduzido de 133 kg/ha para 80 kg/ha quando aplicado com fertirrigação e sob as normas da Produção Integrada. A economia dos agricultores com fertilizantes pode chegar a R$ 546,00/ha.

Neste sistema se consegue ainda reduzir em mais de 44% o volume de água empregado na produção do melão. Segundo Nivaldo Duarte o rendimento do melão cultivado com fertirrigação chega a ser mais de duas vezes àquele do plantio convencional: 30 ton/ha contra 12 ton/ha. Além disso, os frutos obtidos com o sistema de produção integrada têm uma semana de vida útil de armazenamento maior que os melões plantados convencionalmente.

Proteção

No Dia de Campo, os pesquisadores da Embrapa também demonstraram este sistema de plantio com fertirrigação com técnicas que fazem uso de agrotexteis para cobertura do solo no manejo integrado de pragas e doenças viróticas. Os materiais testados no Campo Experimental de Mandacaru, onde foi realizado o dia de campo, são filme de polietileno prateado, bagaço de coco, bagaço de cana-de-açúcar e solo descoberto.

Para Rita de Cássia Souza Dias, pesquisadora da Embrapa Semi-Árido, esta cobertura do solo reduz a evaporação de água na superfície do solo e a oscilação da temperatura do solo. Nas avaliações feitas a cobertura determinou incremento de 16 e 20% na produtividade e no número de frutos, respectivamente, em relação ao tratamento do solo descoberto. Outro resultado significativo é que o uso dos agrotexteis determinou um aumento da produção de frutos tipo 6/, da massa fresca média de frutos e um controle efetivo na incidência de Bemisia tabaci, biótipo C durante o período em que o cultivo estava protegido.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink