Dia de campo orienta produtores sobre a utilização de nova cultivar na produção de silagem

Agronegócio

Dia de campo orienta produtores sobre a utilização de nova cultivar na produção de silagem

Demonstrar a eficiência da variedade de capim-elefante BRS Capiaçu, desenvolvida pela Embrapa, na produção de silagem de baixo custo
Por:
885 acessos

Demonstrar a eficiência da variedade de capim-elefante BRS Capiaçu, desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), na produção de silagem de baixo custo. Esse é o objetivo de um evento que será promovido pela Embrapa Gado de Leite com o apoio da Emater-MG, em Coronel Pacheco, na Zona da Mata mineira, no dia 26 de outubro. O encontro acontecerá no campo experimental da Embrapa José Henrique Bruschi.

Segundo os técnicos da área, a silagem é uma das melhores opções de alimentação do gado durante o período de estiagem. Por apresentar bons valores nutritivos ela garante uma refeição de qualidade para o gado, contribuindo para que a produção leiteira não seja prejudicada pela seca. Nesse processo, por exemplo, o milho, capim ou sorgo são armazenados em silos para fermentação. Quando feita corretamente, o valor nutricional da silagem é semelhante ao material de origem.

A cultivar BRS Capiaçu foi desenvolvida pelo programa de melhoramento genético de capim-elefante da Embrapa Gado de Leite. Segundo a empresa de pesquisa, essa variedade tem características superiores às demais cultivares de capim-elefante, o que  confirma seu potencial para produzir silagem. Ela também pode ser oferecida aos bovinos leiteiros, picada verde ou como componente de outros volumosos, como milho e sorgo.

De acordo com a Embrapa, o potencial de produção da BRS Capiaçu supera o do milho e da cana-de-açúcar, atingindo média de 50 toneladas de matéria seca por hectare/ano. “O custo de produção da silagem da BRS Capiaçu é cerca de 30% do custo da silagem de milho ou sorgo. A capineira de BRS Capiaçu pode durar 10 anos, quando bem manejada”, diz o pesquisador da Embrapa, Antônio Vander Pereira.

A silagem de BRS Capiaçu, segundo a Embrapa, tem teor de proteína bruta equivalente  a que é feita de milho e superior a de cana. Além disso, a cultivar tem boa tolerância ao estresse hídrico, o que a torna uma alternativa ao milho em regiões com alto risco de veranico. “A BRS Capiaçu foi testada e apresentou boa adaptação a Minas Gerais. O seu cultivo segue as mesmas recomendações de outras variedades de capim-elefante”, diz Pereira.

A Embrapa está credenciando viveiristas para a produção e distribuição de mudas, que deverão estar disponíveis no mercado no próximo ano. Até lá a Embrapa estará fornecendo amostras de mudas para os produtores no Campo Experimental José Henrique Bruschi, no município de Coronel Pacheco.

Serviço
Dia de Campo sobre silagem
Data: 26/10/2016
Local:  Campo Experimental José Henrique Bruschi
Mais informações: (32)3218-7050.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink