Distrito Federal se destaca na criação de búfalos

Agronegócio

Distrito Federal se destaca na criação de búfalos

O Distrito Federal produz cerca de 110 mil litros de leite e 12 toneladas de carne de búfalo ao ano
Por:
409 acessos

O Distrito Federal produz cerca de 110 mil litros de leite e 12 toneladas de carne de búfalo ao ano. De acordo com a Emater-DF, os criadores se localizam em Ceilândia e em Brazlândia e seus produtos são vendidos em restaurantes, pizzarias, hotéis e na Central de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa). 
 
Marli Neri Farias, de 69 anos, cria uma manada de 140 cabeças de búfalo leiteiro em um espaço de 49,9 hectares em Brazlândia, e possui um laticínio para a produção de queijos. Por mês, cerca de 3 mil litros de leite são transformados em 23 variedades de queijos como muçarela, ricota, minas e palito. A entrega é feita em todas as cidades do DF e são aceitas encomendas.

Há 16 anos, Marli e seu marido, que faleceu ano passado, trocaram o tradicional gado bovino pelos búfalos, por considerarem de fácil criação e por ser um diferencial para o mercado. Desde então, a produção trabalha com produtos de origem bubalina. “O búfalo é bem melhor porque dá menos trabalho na criação e com pouco leite produzimos mais”, afirma Marli. 

Segundo ela, além da fácil criação, os bubalinos são obedientes e aceitam melhor a ordenha mecânica sem dar coices, diferentemente dos bovinos. Os búfalos são animais de hábitos noturnos e selvagens por isso necessitam de mais espaço. Na alimentação, eles não são seletivos, comem de tudo, dispensando a suplementação alimentar.


Carne e leite
Na criação de bubalinos, o leite é mais caro, mas a aceitação no mercado é maior. A carne é mais leve e saudável. De acordo com a Associação Brasileira de Criadores de Búfalos (ABCB), a carne de búfala tem 40% menos colesterol e 55% menos calorias do que a bovina. E o leite da búfala é mais gorduroso e tem mais calorias do que o da vaca, o teor de gordura do leite da búfala é de 8,16%, enquanto o da vaca é de 3,68%.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink