Dom Pedrito recebe final nacional do Enduro da raça Crioula

Agronegócio

Dom Pedrito recebe final nacional do Enduro da raça Crioula

Cidade gaúcha recebe terceira e última etapa do ciclo que teve provas no Paraná e em São Paulo
Por:
954 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Antes da Expointer, a raça Crioula ainda tem uma etapa a cumprir de uma de suas principais provas. A Final do Campeonato Nacional de Enduro será realizada neste final de semana, dias 15 e 17 de agosto, no município de Dom Pedrito (RS). Esta é a terceira e última etapa do ciclo e definirá os grandes campeões.

As duas etapas anteriores do circuito foram realizadas em Ponta Grossa (PR) na Cabanha Rio Bonito, e na cidade de Itú (SP) tendo como sede a Fazenda Capoava. O coordenador da subcomissão de Enduro da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), Rodrigo Michelon, explica que a escolha da cidade gaúcha para receber a grande final se deu pela tradição da realização da prova na região, sendo a única cidade que realizou todas as provas dos circuitos.

Sobre o nível técnico, Michelon avalia que a cada ano cresce o interesse e a qualidade dos animais que entram na disputa. Este ano estima-se que pelo menos 50 conjuntos participem do Enduro. "O nível cresce a cada ano. Como tivemos poucas provas no ciclo, os animais estão mais condicionados e preparados", avalia.

Tradicional no Uruguai, o Enduro é uma prova de resistência e velocidade que chegou ao Brasil em 2001 e entrou para o calendário de provas oficiais da ABCCC no ano seguinte. A disputa possui três categorias: Iniciante A e B (30 quilômetros), Intermediária (50 quilômetros) e Principal (80 quilômetros). O percurso é dividido em etapas e compreende estradas e campos que relembram rotas percorridas antigamente pelos tradicionais gaúchos que precisavam enfrentar obstáculos naturais com os seus cavalos.

O Enduro testa a resistência tanto do cavalo como do ginete. Depois de cruzar a linha de chegada, o cavalo é guiado a um vet-check onde passa pela análise de uma equipe de veterinários que realizam exames clínicos e físicos. Vence o conjunto que apresentar melhor resultado no desempenho geral da prova, para isso é feita uma média entre a velocidade e as condições físicas do animal.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink