Economista defende substituir soja na produção do Biodiesel

Agronegócio

Economista defende substituir soja na produção do Biodiesel

O presidente do Brasil Bioenergia (BBE), economista Laércio Nery, proferiu palestra sobre o tema “Biodiesel - Alternativa de Energia Limpa para MS”., nessa quarta-feira
Por:
326 acessos

Na abertura da Sessão Solene em comemoração a Semana do Economista realizada na noite dessa quarta-feira (12), no Plenário Oliva Enciso, da Câmara Municipal de Campo Grande, o presidente do Brasil Bioenergia (BBE), economista Laércio Nery, proferiu sobre o tema “Biodiesel - Alternativa de Energia Limpa para MS”.

O economista Laércio Nery, iniciou dizendo que “estamos passando por uma crise ambiental e todos já questionam qual a melhor forma para não agredir o meio ambiente e produzir um biodiesel de qualidade, que substitua a soja. Atualmente no Brasil, 99% do biodiesel produzido é pelo óleo de soja”, destacou.

Para Laércio Nery, “o grande desafio, é conseguir substituir a soja a um novo produto, já que este grão é considerado nobre, uma vez que é um alimento de consumo humano e animal, o pinhão manso é uma forte sugestão, mas não é representativo porque seu plantio ainda é recente e pequeno, mas a médio e longo prazo será a cultura que irá substituir a soja no biodiesel, seja por sua produção de óleo que é (maior) de 38% e também por ser uma planta rústica e perene de fácil manejo não requerendo terras férteis e se adaptando de Norte a Sul do País”, explica o economista.

De acordo com o Laércio Nery, o Brasil importa por ano, cerca de 5 milhões de biodiesel, sendo que 50 % de sua produção é de energia limpa aquela retirada de fontes renováveis de energia que não geram substâncias poluentes ao meio ambiente. Nossas usinas já estão substituindo a soja pelo pinhão manso e inclusive, uma de nossa indústria a ser inaugura no Município de nova Andradina, vai ter como o substituto da soja o pinhão manso, já que é uma planta que produz um biodisel de qualidade podendo ser exportado, concluiu Nery, dizendo que com esse avanço teremos uma economia sustentável, gerando emprego e renda.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink