Edição genética cria tomate mais doce
CI
Imagem: Pixabay
ESTUDO

Edição genética cria tomate mais doce

Os tomates convencionais com alto teor de açúcar exigiriam tecnologia de cultivo avançada
Por: -Leonardo Gottems

Pesquisadores da Universidade de Nagoya, no Japão, relataram que desenvolveram com sucesso tomates mais doces usando tecnologia de edição de genes. Eles onseguiram um tomate cerca de 30% mais doce do que o habitual, facilitando a produção destes tipos de tomates cujos rendimentos costumam ser muito baixos e por isso o preço é alto.  Katsuhiro Shiratake, que liderou a pesquisa, acredita que esses tomates serão mais acessíveis aos consumidores devido ao avanço. 

A equipe se concentrou na modificação de um inibidor de invertase, um gene envolvido no processo de adoçar  tomates  no qual açúcares produzidos por meio da fotossíntese são transportados das folhas da planta para o fruto. Mais açúcares se acumulam na fruta quando o inibidor é quebrado por meio da tecnologia de edição de genes, e o conteúdo de açúcar aumenta em cerca de 30%. 

Os tomates convencionais com alto teor de açúcar exigiriam tecnologia de cultivo avançada, como a minimização da quantidade de água fornecida a uma planta durante o cultivo, resultando em tomates com menos da metade do tamanho dos tomates normais. Ao editá-lo geneticamente, a equipe conseguiu cultivar tomates usando métodos convencionais que resultaram em frutas do mesmo tamanho de costume.  Os pesquisadores reconhecem que esperam que o melhoramento seletivo de plantas se torne ainda mais difundido com a tecnologia de edição de genes no futuro. 

“A maioria das linhas editadas pelo genoma definiu frutos com maior teor de sólidos solúveis (SSC) do que o cultivar original 'Suzukoma', enquanto o peso do fruto foi diferente entre as linhas editadas pelo genoma. A partir dessas linhas editadas pelo genoma, três linhas (193–3, 199–2 e 247–2), cujo SSC foi significativamente maior do que 'Suzukoma' e o peso do fruto era quase o mesmo do cultivar original, foram selecionadas”, diz o relatório. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.