Egito volta a exportar aves após uma década
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)

Imagem: Pixabay

INTERNACIONAL

Egito volta a exportar aves após uma década

País retomará atividade no último trimestre após dez anos fora por influenza aviária
Por: -Eliza Maliszewski
214 acessos

Depois de um surto de influenza aviária, em 2006, o Egito voltará a exportar aves no último trimestre deste ano. A doença foi considerada endêmica no país, causada pela cepa H5N8.

Em 2020 o cenário começou a mudar. Em junho o país africano entrou na lista de países com instalações livres de influenza aviária pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Com isso 14 empresas egípcias foram autorizadas a exportar pintos com 1 dia de idade, ovos de mesa, ovos de criação e aves de criação.

O chefe da Divisão de Aves da Câmara de Comércio do Cairo, Abdul Aziz Al-Sayed, disse que várias empresas avícolas egípcias estão se preparando para exportar seus primeiros carregamentos para o mercado saudita em outubro.

Na semana passada, os Emirados Árabes Unidos também permitiriam a retomada das importações de ovos de mesa do Egito, bem como de aves resfriadas e congeladas, após o país adotar um certificado de saúde veterinária. O país também vai importar patos e codornas vivas assim que tiver uma lista completa de granjas livres da doença.

Os investimentos avícolas no mercado egípcio são de cerca de 90 bilhões de libras egípcias (US $ 5,7 bilhões), enquanto existem mais de 55 mil estabelecimentos avícolas no país, empregando 2,5 milhões de trabalhadores. O ministro da Agricultura, Al-Sayed El-Quseir, disse que o Egito lida com cerca de 4 milhões de frangos por dia, com uma produção média anual de 1,4 bilhão de frangos e 13 bilhões de ovos.

O Brasil é um importante parceiro comercial. O Egito representa o 14º principal importador de carne de frango brasileira. Entre janeiro e junho deste ano, importou 39,1 mil toneladas, volume que supera em 27% o total embarcado no primeiro semestre de 2019.
 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink