Em outubro, embarques de carne de frango voltam a ficar aquém das 300 mil/t

Agronegócio

Em outubro, embarques de carne de frango voltam a ficar aquém das 300 mil/t

Os embarques de carne de frango voltaram a apresentar forte refluxo
Por:
348 acessos

Após sete meses consecutivos de volumes superiores a 300 mil toneladas – a média do período março-setembro de 2016 ficou próxima das 356 mil toneladas mensais e o mínimo do período ficou em 321,5 mil toneladas – os embarques de carne de frango voltaram a apresentar forte refluxo. 

Em outubro, o produto in natura exportado mal chegou às 276 mil toneladas, apresentando redução de quase 22% sobre o mês anterior e de mais de 7% sobre o mesmo mês do ano passado. Esse foi, também, o menor volume dos últimos 20 meses, só ficando acima das 267,7 mil toneladas de fevereiro de 2015.

O recuo, porém, desta vez não ficou limitado ao preço. Atingiu, igualmente – e pelo segundo mês consecutivo – o preço médio. Mas enquanto em setembro a redução de preço em relação ao mês anterior foi pouco superior a meio por cento, em outubro superou 3,5%, o que significa queda de mais de 4% no bimestre e, desta vez, o pior preço médio dos últimos cinco meses.

Tudo isso recai, naturalmente, sobre a receita cambial. Que recuou quase 25% e mais de 5% em relação, respectivamente, ao mês anterior e ao mesmo mês de 2016.

Apesar deste último recuo, o volume de carne de frango in natura exportado em 10 meses mantém-se perto de 5% acima do que foi registrado em idêntico período de 2015 e totaliza 3.341.522 toneladas.

Mantida no bimestre final do ano a atual média mensal – 334.152 toneladas – 2016 será fechado com cerca de 4,010 milhões de toneladas, 3,12% a mais que o exportado em 2015.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink