Embarques por UF: recuo generalizado no 1º bimestre

Frango

Embarques por UF: recuo generalizado no 1º bimestre

Apenas um terço das UFs que exportaram carne de frango no período apresentaram resultado positivo em relação 2017
Por:
9 acessos

No primeiro bimestre de 2018 apenas um terço das quinze Unidades Federativas (UFs) que exportaram carne de frango no período apresentaram resultado positivo em relação a idêntico período de 2017.

Em outras palavras, nove dessas UFs sofreram redução no volume embarcado, em índices que vão desde meio por cento a menos (Mato Grosso do Sul) até 45% de queda (Minas Gerais). Por outro lado, o aumento em outras cinco UFs (mais o Pará, que não havia efetuado exportações há um ano) foi irrelevante. Daí o bimestre ter sido encerrado com uma redução de, praticamente, 8% no volume embarcado. 

Como, porém, os preços recebidos pelo produto exportado regrediram de maneira generalizada, o efeito sobre a receita cambial foi mais grave. Pois apenas três das 15 UFs registram aumento de receita. E o destaque, neste caso, vai para o Espírito Santo onde, graças a um aumento de 120% no volume exportado, a receita cambial do bimestre apresentou incremento de 76%.

Mas casos como esse (e também o da Paraíba, com índices de expansão bem maiores, mas com nível de participação menor) não foram suficientes para reverter o processo de queda da receita cambial, 13% menor que a obtida no mesmo bimestre de 2017. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink