Agronegócio

Embrapa e parceiros fortalecem Programa Soja Livre

surgiu em 2009 para suprir as necessidades dos produtores que buscavam mais opções
Por:
1549 acessos
A a Associação Brasileira dos Produtores de Grãos Não Geneticamente Modificados (Abrange), a Associação dos Produtores de Soja e Milho do Mato Grosso (Aprosoja/MT) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, estão fortalecendo a parceria para o prosseguimento das ações do Programa Soja Livre (PSL). Os entendimentos para maior integração entre as instituições foram firmados durante reunião na Sede da Embrapa, no último dia nove, da qual participaram, além dos presidentes das instituições privadas, Cesar Borges de Sousa, da Abrange e Carlos Henrique Fávero, da Aprosoja, o Diretor-Executivo de P&D da Embrapa, Ladislau Martin Neto, o Gerente-Geral da Embrapa Produtos e Mercado, Frederico Ozanan Machado Durães, o Chefe Geral da Embrapa Soja, Alexandre José Catellan, o Diretor Administrativo da Aprosoja, Roger Augusto Rodrigues e o Gerente Adjunto de Mercado da Embrapa Produtos e Mercado, Rafael Vivian.


O Programa Soja Livre, do qual participam diversas instituições, surgiu em 2009 para suprir as necessidades dos produtores que buscavam mais opções e maior diversidade de cultivares convencionais de soja, dando ao mercado mais alternativas de produtos e ao produtor maior liberdade de escolha no estabelecimento de seu cultivo. 

Segundo Frederico Durães, o agronegócio brasileiro está demandando insumos diversificados, que auxiliem o produtor rural na busca do atendimento aos consumidores mais exigentes e exclusivos, possibilitando maiores volumes de negócios. Por isso, a Embrapa, como a instituição líder no mercado brasileiro de soja convencional, participa do Programa Soja Livre disponibilizando ao produtor as cultivares convencionais da Empresa. Ele explica que hoje são mais de 35 cultivares comerciais da Embrapa disponíveis, que podem ser cultivadas em quase todas as regiões brasileiras e que atendem plenamente os objetivos do Programa. Para Durães, o fortalecimento da parceria com a Abranje e a Aprosoja para a consolidação do Programa Soja Livre trará muitos resultados positivos para o produtor de soja, permitindo que estes agricultores tenham mais e melhores alternativas para a sustentabilidade do sistema produtivo e o fortalecimento do agronegócio brasileiro. 


Cesar Borges de Souza, presidente da Abrange, acredita que este alinhamento das três instituições participantes do Programa Soja Livre é excepcionalmente importante pois traz força a este grupo, que representa os produtores agrícolas, as indústrias e a pesquisa. “Esse alinhamento vai fazer com que o Programa seja ainda mais importante do que já é, dando sinais claros de união aos compradores internacionais – especialmente alemães, japoneses e chineses-, que têm vindo ultimamente nos procurar para novos negócios”, finaliza.

Carlos Fávero, presidente da Aprosoja acredita que o Programa Soja Livre poderá auxiliar os parceiros privados na disponibilização de material no mercado e, também, ajudar a Embrapa na realização de novas pesquisas.

Para o chefe-geral da Embrapa Soja, Alexandre Cattelan, a parceria entre a pesquisa, os produtores de grãos e as tradings - que comercializam - resulta em uma grande sinergia entre os principais elos da cadeia produtiva.  “Isso é fundamental neste momento em que a demanda do mercado está crescendo e apenas o Brasil consegue suprir com soja convencional segregada, ou seja, um grão cuja pureza é garantida”, destaca. “Tanto é que os prêmios têm aumentado a cada safra, porque a demanda continua e a oferta mundial tem diminuído”, finaliza. 

 
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink