Embrapa e Semeia firmam termo de compromisso para aproveitamento de resíduos orgânicos

Agronegócio

Embrapa e Semeia firmam termo de compromisso para aproveitamento de resíduos orgânicos

As ações de cooperação estão previstas para iniciar em janeiro de 2017
Por:
1923 acessos

As ações de cooperação estão previstas para iniciar em janeiro de 2017

Com o objetivo de desenvolver ações de pesquisa, transferência de tecnologias e educação ambiental voltadas para a implementação do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de Rio Branco (PMGIRS) e do Plano Local de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Embrapa Acre, a Embrapa Acre e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Rio Branco (Semeia) firmaram, nessa terça-feira (20), termo de compromisso. As ações de cooperação estão previstas para iniciar em janeiro de 2017.

Entre outras atividades, a parceria envolve a realização de estudos sobre a eficiência de processos de compostagem na Unidade de Tratamento de Resíduos Sólidos – UTRE da Prefeitura de Rio Branco e avaliação desses compostos orgânicos e substratos para uso na produção agrícola e  projetos de paisagismo da Cidade. Um dos pontos centrais do PMGIRS é a destinação dos resíduos orgânicos que representam mais de 60% do lixo gerado em Rio Branco, os quais são 100% recicláveis. Para atender exigências da legislação federal e do Plano Municipal as instituições geradoras de resíduos, classificadas como grandes geradoras, devem elaborar e implementar seus planos de gerenciamento de resíduos. Para os resíduos orgânicos domésticos, a Prefeitura de Rio Branco apresenta como alternativa um modelo de composteira que não gera chorume, apropriado para residências. O objetivo é que a população destine ao aterro sanitário do Município apenas os resíduos que não podem ser reciclados.

Segundo a secretária da Semeia, Sílvia Brilhante, a Embrapa foi a primeira instituição de Rio Branco a apresentar um plano de gestão de resíduos para licenciamento junto ao órgão ambiental. Com a assinatura do termo abre-se um leque de oportunidades.  "A idéia é transformar as ações executadas no âmbito do plano de resíduos sólidos da instituição em unidades demonstrativas, para servir de modelo para outros geradores de resíduos que também deverão elaborar e licenciar o seu plano, conforme prevê a legislação", acrescentou. A secretária também destacou ainda o papel da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos tanto na elaboração da política como na implementação da gestão desses resíduos.

De acordo com o chefe geral da Embrapa, Eufran Amaral, a Unidade já tem uma ação em curso neste sentido. Diferentes tipos de resíduos orgânicos destinados  à UTRE já são transformados em substratos e  utilizados na produção de mudas de mamão, abacaxi e maracujá. O trabalho faz parte de pesquisa desenvolvida pelo mestrando da Ufac, Paulo Sergio Braña, com orientação do pesquisador da Embrapa Romeu Andrade. "Com o termo, assumimos o compromisso de criar um composto orgânico com características ambiental e social diferenciadas e avaliar sua eficiência. O acompanhamento do processo de compostagem na UTRE e a unidade demonstrativa de compostagem que será criada na Embrapa funcionarão como laboratórios. Dessa forma, cumprimos com a legislação e produzimos conhecimento durante o processo. A prática de compostagem também será difundida nas escolas do entorno da Empresa. Um público fundamental para promover mudanças dessa natureza", comenta.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída em 2010, determina mudanças no modelo de tratamento de resíduos no Brasil, a responsabilidade pela destinação adequada é do poder público, das empresas e de todo cidadão. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink