Embrapa investe em pesquisa para controlar ferrugem asiática na soja
CI
Agronegócio

Embrapa investe em pesquisa para controlar ferrugem asiática na soja

Por:

O Dia de Campo na TV que vai ao ar no dia 07 de novembro, sexta-feira, das 9h às 10h da manhã (horário de Brasília), tem como tema o controle da ferrugem asiática na soja. O programa é produzido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

A ferrugem asiática foi identificada em 90% da área plantada de soja, causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi que interfere na fotossíntese das plantas e provoca queda prematura das folhas. O fungo não é transmitido via sementes ou grãos, mas pelo vento. Por isso, não há risco de introdução do fungo para outros países, por meio de grão exportado.

A ocorrência da ferrugem pode variar de um ano para outro, dependendo das condições climáticas. Na safra 2002/2003, a doença foi identificada em 90% da área plantada, causando severos prejuízos na Bahia e no Mato Grosso.

Os efeitos da ferrugem podem ser minimizados com a concentração do plantio antecipado e rotação com outras culturas, como milho e algodão. Os plantios de soja, no final do mês de outubro devem sofrer menos efeitos porque há menor quantidade de esporos do fungo da ferrugem no ar. Por isso, recomenda-se a utilização de cultivares precoces para que o plantio seja no início da época recomendada. Com essa alternativa, o produtor também leva vantagem no uso de fungicidas.

Na safra passada, 452 cultivares de soja passaram por testes de resistência a doenças. Desse total, mostraram-se resistentes 11 materiais genéticos. O problema é que houve quebra nessas fontes de resistência, por causa do aparecimento de uma nova raça do fungo causador da doença. Isso significa que não haverá cultivares resistentes a ferrugem nas próximas duas safras. A Embrapa continuará realizando pesquisas nessa área para desenvolver cultivares resistentes ao problema.

O Dia de Campo na TV é transmitido, ao vivo, do estúdio da Embrapa Informação Tecnológica, em Brasília, para todo o país, via satélite. Para assistir, basta sintonizar uma antena parabólica na polarização horizontal, banda C, transponder 6A2, freqüência 3930 Mhz, sinal aberto, ou uma antena doméstica, banda L, freqüência 1220 Mhz. O programa também é exibido pelo Canal Rural (Net, Sky e parabólica: freqüência 4171 Mhz, transponder 12A2, polarização horizontal).

O Dia de Campo na TV é interativo. As dúvidas do público sobre a tecnologia apresentada são esclarecidas ao vivo por especialistas. As perguntas serão recebidas, durante o programa, pelo telefone 0800-701-1140 (ligação gratuita), pelo fax (61) 273-8949, ou ainda pelo e-mail: diacampo@sct.embrapa.br.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink