Embrapa promove dia campo sobre integração lavoura-pecuária
CI
Agronegócio

Embrapa promove dia campo sobre integração lavoura-pecuária

Por:

Produtores rurais, técnicos e estudantes participam em 12 de março de dia de campo na Embrapa Arroz e Feijão (Santo Antônio de Goiás/GO) para discutirem tecnologias sobre sistemas de integração lavoura-pecuária, com foco na qualidade de solo do cerrado. O objetivo é apontar alternativas para a redução de custos de produção, uma vez que a recuperação ou a manutenção da produtividade em áreas de pastagem ou de agricultura exigem elevados gastos pelos métodos tradicionais.

A exploração de lavouras de grãos, tais como soja, milho e feijão, mesmo em rotação de culturas, traz efeitos prejudiciais à conservação do solo. O uso intensivo de maquinário nas atividades de preparo do terreno, semeadura, tratos culturais e colheita causa compactação e desestruturação do solo, o que compromete seu potencial produtivo.

Em relação à pecuária, os sistemas pastoris convivem geralmente com desempenho zootécnico insatisfatório, atribuído em grande parte à baixa produtividade das pastagens, cujos custos de recuperação da fertilidade do solo são altos.

Uma maneira de contornar ambos problemas é o cultivo de forrageiras, como os capins do gênero braquiária, em consórcio com a cultura principal na safra de verão, conforme recomendações técnicas específicas.

A braquiária contribui para a melhoria do perfil do solo, fornecimento de matéria orgânica e reciclagem de nutrientes. O crescimento profundo de suas raízes favorece a infiltração de água, a atividade de organismos que habitam o solo e a maior eficiência da adubação química.

O plantio direto sobre a palhada de braquiária dessecada, protegendo totalmente a superfície do solo, diminui em 40% a necessidade de irrigação para os cultivos de inverno no cerrado. Reduz também em 60% a incidência de doenças de feijão causadas por fungos de solo, como mofo branco e podridões radiculares.

A palhada de braquiária sobre o solo ajuda ainda no controle de até 70% de invasoras, como leiteiro, caruru e capim colchão. Como conseqüência, o agricultor torna-se menos dependente de herbicidas para produzir.

Adicionalmente, a braquiária resolve um problema comum no cerrado que a rápida decomposição da palhada de cobertura da superfície do solo. A palhada de braquiária associada a restos culturais do milho produz até 17 toneladas de matéria seca por hectare, montante suficiente para plena proteção do solo por mais de 100 dias.

Caso não seja dessecada, a braquiária pode servir de pasto para o período de entressafra. Nessas circunstâncias, o capim aproveita os nutrientes residuais deixados pela lavoura e presentes nas camadas mais profundas do solo. O resultado é a maior oferta de alimento ao gado com taxas de lotação da pastagem e ganho de peso animal mais altos que a média nacional.

Já o pecuarista que pretende reformar pastagem degradada pode consorciar arroz com braquiária. Assim, a produção de grãos cobre parte dos elevados gastos com a recuperação da fertilidade do solo. A produção forrageira torna-se também maior, dispensando o uso de rações para os bovinos.

Evento: Dia de Campo Integração Lavoura-Pecuária / Data: 12 de março de 2004 / Horário: das 8h às 12h / Local: Embrapa Arroz e Feijão, Rodovia Goiânia-Nova Veneza, km 12, Santo Antônio de Goiás/GO. Parceiros: Tortuga, Belgo Bekaert, Vitafort e Dow AgroSciences.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink