Empresas se unem por tecnologia de aplicação
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)

Imagem: Pixabay

PARA BIOLÓGICOS

Empresas se unem por tecnologia de aplicação

O investimento conjunto é de R$ 20 milhões e a sede ficará dentro da Esalq, em Piracicaba (SP)
Por: -Eliza Maliszewski
430 acessos


Duas empresas vão unir esforços para o desenvolvimento de tecnologias de aplicação de defensivos biológicos. A parceria é entre a Koppert, que produz insumos biológicos com a Jacto, que atua no desenvolvimento de equipamentos e tecnologias de aplicação. 

O objetivo principal é elaborar em conjunto ferramentas que facilitem a adoção do manejo integrado de pragas e do controle biológico pelo agricultor brasileiro. A parceria se dará pelo centro de pesquisa e inovação voltadas para o manejo biológico (SPARCBio), lançado no início deste ano pela Koppert, pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP). O investimento conjunto é de R$ 20 milhões. A sede do SPARCBio ficará dentro da Esalq, em Piracicaba (SP), e a Jacto investira R$ 1 milhão na construção deste espaço e também fará parte das linhas de pesquisa no desenvolvimento de soluções de tecnologia de aplicação de macro e microbiológicos.

Da parceria são esperadas novas ferramentas de agricultura de precisão que permitam o uso mais simples, seguro e econômico dos biológicos. “Vamos desenvolver equipamentos e serviços que favorecerão a adesão do agricultor às tecnologias e também vão permitir que o manejo integrado de pragas seja mais conhecido e difundido entre os produtores,” destaca o diretor comercial da Koppert, Gustavo Ranzani Herrmann. 

Para Fernando Gonçalves, presidente da Jacto, os agricultores têm buscado cada vez mais tecnologias alternativas, entre elas o uso de produtos biológicos, com o objetivo de aumentar a produtividade e reduzir perdas e custos de produção, além da redução de impactos ambientais. “Esse é um alinhamento para todos os nossos produtos, do pequeno ao grande produtor. Com as tecnologias da agricultura de precisão cada vez mais assertivas e orientadas a atender às demandas desse cenário, toda cadeia se fortalece”, avalia.

*com informações da assessoria de imprensa
 
 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink