Encontro em Fagundes Varela encerra 2018 com capacitação dos ordenhadores

Evento

Encontro em Fagundes Varela encerra 2018 com capacitação dos ordenhadores

Temas dos encontros são sempre escolhidos pelo grupo com base nas discussões que vão ocorrendo e nos pontos comuns definidos para ação nas propriedades
Por:
52 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente

A propriedade de Hilário Dalla Líbera recebeu na semana passada (27/12) os participantes do Grupo de Trabalho (GT) em Bovinocultura de Leite (GT Leite) de Fagundes Varela, para realização do 6º e último encontro do grupo no ano. Formado por 15 famílias participantes do Programa de Gestão Sustentável na Agricultura Familiar no município, o grupo propõe a intervenção direta nas propriedades assistidas, visando alcançar resultados efetivos, aliados à apropriação dos conhecimentos dos participantes. Os temas dos encontros são sempre escolhidos pelo grupo com base nas discussões que vão ocorrendo e nos pontos comuns definidos para ação nas propriedades.

Com o tema ?Pense mais na vaca?, o encontro teve a parceria da FF Milking. O consultor em sistemas de ordenha, Felipe Facchinelli, discutiu com os participantes os conhecimentos sobre a vaca, as pessoas que trabalham com a ordenha e os equipamentos. Após a explicação, o grupo foi até a sala de ordenha, onde participaram de uma dinâmica sobre a rotina da atividade em suas propriedades. ?São pequenos detalhes que podem passar despercebidos na maioria das vezes, mas que fazem toda a diferença no fluxo do manejo da ordenha, impactando na qualidade, na produtividade e na eficiência da mão de obra utilizada?, ressalta Facchinelli.

Na sequência, o grupo visitou as instalações da propriedade e pode conferir as mudanças que a família Dalla Libera vem fazendo nos últimos anos, a partir das intervenções da Extensão Rural e Social com o Programa de Gestão Sustentável na Agricultura Familiar e o GT Leite.

Leandro Ebert, engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, explica que a família possuía interesse em investir em um sistema de irrigação. Mas ao avaliar as áreas de pastagens e o manejo da alimentação, o engenheiro agrônomo identificou que haviam problemas de compactação do solo, fertilidade, manejo das pastagens e consumo de pasto pelo rebanho. ?Decidimos com a família que a irrigação seria feita, mas para que pudéssemos ter resultados e incremento de produção de pasto com o sistema precisávamos melhorar o manejo do solo, do pasto e do rebanho?, conta.

A partir do Programa Mais Água Mais Renda, foi instalado o sistema de irrigação por aspersão nas pastagens, sendo 4 hectares de tífton 85 e trevos, e 2,7 hectares de alfafa com trevos. Essas áreas tiveram a fertilidade corrigida e o solo descompactado. O manejo das pastagens e da alimentação do rebanho teve uma série de alterações para aproveitar esse pasto que é produzido. Hoje, a família possui 60 vacas em lactação, que produzem cerca de 2 mil litros de leite por dia.

Os próximos passos da propriedade são instalar um equipamento para manejo da irrigação com base na umidade do solo, evitando assim desperdícios de água e energia elétrica, além de mudar a rotina de ordenha e manejo pela manhã, para que os animais tenham acesso ao pasto nas horas mais frescas do dia. Por fim, ainda há planos de instalar bebedouros nos piquetes para acesso à água durante o pastejo da manhã e da noite, e também ajustar o dimensionamento dos piquetes.

De acordo com Ebert, o diferencial do trabalho com o GT Leite é que ele é focado nessas famílias que toparam o desafio de produzir leite visando alta produtividade, com uso intensivo de pastagens. Dessa forma, além das orientações recebidas nas propriedades, o grupo se comunica por smartphone, faz o controle mensal de indicadores da atividade leiteira com o uso de um aplicativo e se reúne a cada dois meses para esse momento de capacitação.

Além de último encontro do ano, foi também a despedida do engenheiro agrônomo Leandro Ebert como coordenador do projeto, já que em 2019 atuará em outro Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink