Encontro Intermunicipal de Fruticultura reúne pesquisa e extensão em São Valentim

Agronegócio

Encontro Intermunicipal de Fruticultura reúne pesquisa e extensão em São Valentim

Cerca de 80 produtores participaram do 1º Encontro Intermunicipal de Fruticultura, sediado em São Valentim.
Por:
227 acessos

Cerca de 80 produtores participaram do 1º Encontro Intermunicipal de Fruticultura, sediado em São Valentim, na  última quinta-feira (15/09), na comunidade Santo Isidoro. Participaram técnicos e produtores dos municípios de São Valentim, Barra do Rio Azul, Itatiba do Sul, Barão de Cotegipe, Paulo Bento, Benjamin Constant do Sul, Erechim, entre Rios do Sul e Faxinalzinho. Os produtores receberam orientações técnicas da Extensão Rural e da pesquisa envolvendo temas como qualidade de mudas e doenças dos vinhedos.

Na parte da manhã, no salão comunitário da comunidade Santo Isidoro, o pesquisador da Embrapa Uva Vinho ? Bento Gonçalves, Daniel Grohs palestrou sobre a qualidade de mudas e doenças dos vinhedos. Grohs chamou atenção para as principais estratégias que devem ser adotadas, tanto para a renovação de parreirais como para abertura de novas áreas. De acordo com Grohs, o produtor deve adotar um conjunto de medidas para obter um parreiral de qualidade e alta rentabilidade. Entre as principais, estão o uso de mudas com sanidade e tratamento de solo, diagnósticos de pragas e fungos. "O maior problemas são os fungos", observou. "O produtor deve conhecer o padrão da muda fitossanitária". Também recomendou cobertura de solo e os períodos para as práticas. Também na parte da manhã, a assistente técnica regional Social da Emater/RS-Ascar, Fernanda Tacca Angonese, falou sobre o Plano de Gestão Sustentável na Agricultura Familiar.

A programação prosseguiu à tarde na propriedade das famílias Beal e Szefer, na mesma comunidade, com estações sobre nutrição de citros, mudas e doenças do parreiral. O técnico da Emater/RS-Ascar, Ivonir Biesek orientou sobre práticas para um pomar de citros, principalmente de laranja, qualidade e de rentabilidade. Entre as principais medidas estão à análise de solo, com recomendação para ser feita a cada dois ou três anos, e a foliar, a cada ano ou a cada dois anos. Em relação ao manejo do solo, Biesek também recomendou adubação nutricional. "O citros é uma das culturas que mais responde a adubação verde para cobertura de solo e com custo praticamente zero".

O pesquisador mostrou na prática no parreiral os cuidados com as mudas, com enxertia e doenças e fungos. Para evitar disseminação de fungos, por exemplo, recomendou desinfestação de ferramentas, o que poderá ser feito com hipoclorito de sódio. ?Na viticultura é preciso um cuidado muito grande porque, diferentemente da produção de grãos, o plantio não é anual. Espera-se que uma vez introduzida no parreiral, a muda evolua e o parreiral seja produtivo por no mínimo 15 anos?, esclarece. A Embrapa Uva e Vinho, atualmente, está fomentando o aumento de produtividade dos parreirais a partir da melhoria da qualidade das mudas comerciais. 

O tema Sucesão familiar foi tratado pela assistente técnica regional, Fernanda Tacca Angonese, acompanhada da família Beal. Ela abordou fatores que ajudam na decisão do jovem permanecer ou não no campo, como a renda, a autonomia, o diálogo com os jovens e politicas públicas, como o Pronaf Jovem. É importante mostrar a eles "o rural como oportunidade de renda e qualidade de vida". O casal Geni e Nadir Beal relatou a experiência na propriedade. Geni e Nadir dividem as diversas atividades produtivas da propriedade com a filha Cassiane e Ademar que são pais da Michelli, de 6 anos, e de Vitor, com 10 meses. Ademar que já trabalhou na região e em outras regiões do Estado e do país, conta que "hoje não teria na cidade o conforto que tem na propriedade. Temos gestão, fizemos investimentos em tecnologia, nos programamos para férias". Relata. Também frisou a importância do jovem escolher uma atividade e fazer o que gosta. 

Propriedade

Na propriedade, as atividades são conduzidas pelos casais Nadir e Geni e Cassiane e Ademar. Em 2006, iniciou a atividade com parreirais. Hoje, dos 20 hectares, 4 são destinados ao cultivo de uvas, um hectares de laranja, além de outras atividades com bovinos de leite e lavouras.

Abertura - O evento foi aberto pelo gerente regional da Emater/RS-Ascar de Erechim, Nilton Cipriano Dutra de Souza, pelo secretário municipal da Agricultura, Edgar Regoso e pelo representante do Sicredi Josimar Gabiatti e pelo técnico do Escritório Municipal de São Valentim, Delmir Nadal. Os envolvidos no evento, destacaram a importância das parcerias. Também agradeceram as famílias Beal e Szefer por sediarem em sua propriedade o evento. A importância da parceria da extensão rural e a pesquisa foi enfatizada pelo gerente regional da Emater/RS que fez um agradecimento a Embrapa pela parceria. As representantes das entidades e o supervisor da microrregional Cilon Fialho da Silva também acompanharam a programação durante o dia.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink