Entrega de fertilizantes bate recorde em outubro

Agronegócio

Entrega de fertilizantes bate recorde em outubro

Por: -Admin
2 acessos

O volume de entregas de fertilizantes no mês de outubro de 2004, segundo levantamento da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda), bateu o recorde histórico de 3,118 milhões de toneladas desde que se iniciaram as estatísticas do setor, em 1986. Este número é 0,5% maior que outubro de 2003 (3,105 milhões de toneladas) e 3,7% maior que setembro deste ano (3,006 milhões de toneladas). Nos últimos dez anos, tradicionalmente, outubro tem se revelado o mês com maior volume de entregas no ano.

Entre janeiro e outubro, foram produzidas 18,8 milhões de toneladas, patamar igual ao do mesmo período do ano passado, que foi de 18,9 milhões de toneladas. Segundo Torvaldo Marzolla, vice-presidente da Anda, “ainda é prematuro estimar o comportamento do mercado em 2005, pois dependerá do perfil das colheitas do Hemisfério Norte, que indicam números muito elevados. Deverá ser um ano bastante complexo e difícil, mas os agricultores estão cientes da importância dos fertilizantes para a produtividade de suas lavouras”.

Um dos destaques do segmento no ano deve ser os micronutrientes, um setor ativo e que deverá continuar movimentando bons volumes, representando este ano, entregas no montante de 450 mil toneladas. As informações são da assessoria de imprensa da Anda.

Performance regional:

Em nível regional, o desempenho dos fertilizantes está intimamente ligado aos reflexos das culturas locais e à expansão da fronteira agrícola. No Centro-Oeste, o Mato Grosso é pelo terceiro ano seguido o Estado que mais consumiu fertilizantes, superando São Paulo e Paraná. A região Sudeste deverá manter-se estável, com São Paulo figurando entre os estados mais atrasados em termos de consumo, junto com Goiás, Tocantins e Mato Grosso do Sul. No Sul, a estabilidade também se apresenta, mas com o Rio Grande do Sul despontando como forte consumidor. Já o Nordeste teve sua performance melhorada devido, principalmente, ao sul da Bahia, com a lavoura de algodão e a recuperação das lavouras de cana de açúcar.

Obstáculos do setor:

Os preços em 2004, até o momento, foram maiores que em 2003, sobretudo devido aos aumentos no preço do petróleo, que influem no preço da matéria prima nitrogenada. Com isso, os preços das matérias primas de fertilizantes no mercado internacional sofrem alta, assim como os fretes internacionais devido à forte demanda da China e da Ásia Pacífica. Por outro lado, os financiamentos que o governo libera são insuficientes e em momentos tardios, levando os produtores a procurar alternativas de autofinanciamento.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink