Entregue primeira certificação por compartimento sem Influenza Aviária e Newcastle

Agronegócio

Entregue primeira certificação por compartimento sem Influenza Aviária e Newcastle

Solenidade de reconhecimento da empresa COBB Vantress teve a presença da diretora-geral da OIE
Por:
634 acessos

Solenidade de reconhecimento da empresa COBB Vantress teve a presença da diretora-geral da OIE

O ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) entregou nesta segunda-feira (21) a primeira certificação de Compartimento de Reprodução Livre de Influenza Aviária e da doença de Newcastle à empresa COBB Vantress Brasil, com filiais em Minas Gerais, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Maggi, que esteve com Michel Temer, antes do evento, acompanhado da  diretora-geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), Monique Eloit, comentou com o presidente que “ninguém quer fazer guerra, mas que é importante estar preparado”, referindo-se à importância de manter ‘ilhas’ imunes a essas doenças.

O presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal, o ex-ministro da Agricultura Francisco Turra, disse que o Brasil nunca teve registro de gripe aviária, mas que é importante ter compartimentos produtivos em eventual situação de emergência. A compartimentação é voluntária e envolve todas as unidades de produção. Prevista em instrução normativa, a certificação, baseada em recomendação da OIE, visa reconhecer e atestar subpopulação de aves com status sanitário diferenciado, por meio da adoção de procedimentos adicionais de biosseguridade, vigilância epidemiológica, supervisões e auditorias.

A Influenza Aviária e a doença de Newcastle, altamente contagiosas, podem causar impactos não apenas à saúde animal e socioeconômicos, mas também à saúde pública. São doenças de notificação obrigatória e imediata, em até 24 horas após a confirmação. A influenza Aviária é uma doença exótica no território nacional, enquanto que a doença de Newcastle teve suas últimas ocorrências em 2006, em propriedades com aves de subsistência.

O diretor-executivo da COBB para a América Latina, Jairo Arenazio, lembrou a parceria realizada durante oito anos com o Mapa e com a OIE para chegar ao momento da certificação. Maggi reconheceu ser um trabalho de anos no ministério, disse ser importante que as demais empresas que estão trabalhando para certificar-se acelerem esse processo, e que a JBS e BRF devem ser a próximas a obter o certificado. “Coube a nós, comemorar esse resultado”, destacou Maggi, acrescentando que não se trata de contornar um problema, mas de enfrentá-lo. 

O diretor da Secretaria de Defesa Agropecuária, Bruno Pessamilio, explicou que, para manter a certificação, é necessário se submeter a vistorias sanitárias permanentes. E ressaltou a importância dos compartimentos no país, pelo fato de ser o maior exportador de frango do mundo, vendendo para 158 países.

Eloit convidou Michel Temer para participar da reunião da OIE, em Paris, que acontece em maio. De acordo com o ministro, o presidente deverá ir à reunião de 2018. A diretora, primeira mulher a dirigir a organização, é veterinária e iniciou sua gestão em 1º de janeiro deste ano. Desde 2009, era diretora-geral adjunta da OIE. Antes disso, chefiou o serviço veterinário francês.

Um convênio no valor de R$ 3,5 milhões foi fechado entre o ministro da Agricultura e a diretora da OIE para erradicação da aftosa no país

 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink