Envio de trabalhos sobre girassol tem data prorrogada

Agronegócio

Envio de trabalhos sobre girassol tem data prorrogada

Por:
109 acessos

O prazo para submissão de trabalhos científicos, na forma de resumo expandido, para a XVIII Reunião Nacional de Pesquisa de Girassol (RNPG) e do VI Simpósio Nacional sobre a Cultura de Girassol, que terminava na segunda (17.8), foi prorrogado para sexta (21.8). Os trabalhos que forem aprovados poderão vir a fazer parte do Livro de Resumos da XVIII RNPG. O evento será realizado nos dias 30 de setembro e 1° de outubro, em Pelotas, numa promoção conjunta entre a Embrapa Clima Temperado (Pelotas - RS) e a Embrapa Soja (Londrina - PR). Esse é o principal fórum de discussão sobre a cultura do girassol no Brasil, e deve reunir cerca de 300 pessoas, de 50 entidades de diferentes, entre: pesquisadores, técnicos e professores de instituições estaduais de pesquisa e de várias unidades da Embrapa, universidades, iniciativa privada e agricultores.

Segundo a pesquisadora da Embrapa Soja, Regina Campos Leite, além dos problemas relacionados as pragas e as doenças nas lavouras, existe também a concorrência do girassol com culturas que já são tradicionais entre os produtores. “Com isso, o produtor não se vê muito estimulado em deslocar a época de semeadura da sua cultura principal para poder incluir o girassol no sistema”, afirma ela. Segundo ela, o reflexo dessa situação é que a área de plantio desta cultura em alguns Estados não tem aumentado muito.

“O evento pretende contribuir para reverter essa situação e, principalmente, informar as pessoas sobre os aspectos positivos do plantio do girassol. Além disso, o evento contará, este ano, com a participação de palestrantes da Argentina, que esta entre os países que são os maiores produtores de girassol e que, por sua tradição, pode compartilhar experiências com os participantes”, acrescenta Regina.

Em relação às doenças que se desenvolvem no girassol, denominadas Mancha de Alternaria e a Podridão Branca, já estão sendo feitos estudos visando adequar a época de semeadura, como estratégia para reduzir os impactos desses problemas. Por isso, a pesquisadora diz que o produtor que tiver interesse em trabalhar com a cultura deve procurar assistência técnica em sua região e se informar adequadamente. “A tecnologia que nós já temos pode dar um suporte bastante importante para a cultura de girassol no Brasil e pode ser transmitida dos pesquisadores, que participam de eventos como esse, para os produtores”, finaliza.

A coordenadora do evento e pesquisadora da Embrapa Clima Temperado, Ana Cláudia Barneche de Oliveira, fala do principal objetivo que se quer atingir ao realizar essa atividade “esperamos conseguir estimular o produtores a aderirem essa cultura, já que o girassol pode ser usado tanto para a alimentação quanto para a agroenergia”.

As inscrições para o evento já estão abertas e podem ser feitas pela internet através do site www.cpact.embrapa.br. O investimento para participar do evento é de R$150,00 (profissionais) e R$75,00 (estudantes). As normas e os modelos para elaboração de trabalhos científicos também estão disponíveis na home page do evento.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink