Epamig reforça prevenção da ferrugem asiática

Agronegócio

Epamig reforça prevenção da ferrugem asiática

Por:
1 acessos

Embora a incidência de ferrugem asiática nas principais regiões produtoras do Triângulo Mineiro esteja abaixo dos níveis registrados na safra 2003/2004, segundo levantamento da Embrapa, o Consórcio Anti-Ferrugem Asiática recomenda aos produtores de soja intensificarem a prevenção contra a doença. Coordenado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o consórcio é integrado por mais de 40 instituições de pesquisa, universidades e empresas do setor público e privado, entre elas a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado de Minas Gerais (Epamig), vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Um dos meios de comunicação utilizados pelo Consórcio Anti-ferrugem Asiática é um folheto com informações sobre a origem da doença, como identificá-la e fazer o seu monitoramento. O problema é causado pelo fungo Phakopsora pachcyrhizi, que foi identificado no Brasil em maio de 2001 e se espalhou rapidamente pelas regiões produtoras nas últimas safras, por causa da sua eficiente disseminação pelo vento. A ferrugem provoca queda de produtividade nas lavouras, porque nas áreas onde ela ocorre há desfolha precoce e a formação dos grãos é interrompida.

De acordo com os técnicos da Epamig, são de fundamental importância o monitoramento da lavoura e a identificação da ferrugem nos seus estágios iniciais para um eficiente controle. Os produtores devem fazer um monitoramento abrangente, com maior atenção para as semeaduras e os locais com grande acúmulo de umidade. Ao observar as folhas contra luz, poderão ver pontos escuros, devendo ainda observar no verso delas se existem saliências ou pequenas bolhas que confirmem a doença.

Os agricultores devem formar pequenas áreas com soja, semeadas até um mês antes da época normal, sem aplicação de fungicida na parte aérea. O objetivo é possibilitar a apresentação de sintomas antes da lavoura comercial para assegurar o controle da doença, explicam os pesquisadores.

Diversos laboratórios foram credenciados pelo Consórcio Anti-ferrugem para fazer o diagnóstico da doença. Os endereços podem ser encontrados pela internet, que também fornece informações atualizadas sobre novos focos de ferrugem durante a safra. Na Epamig, podem falar sobre a doença os pesquisadores Roberto Kazuhito Zito, telefone (34) 3321 6699 e (34) 9960 2436; e Dulândula Silva Miguel Wirvok, telefone (34) 9978 1256.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink