ES: Governo vai investir R$ 10,7 milhões em pesquisa agropecuária

Agronegócio

ES: Governo vai investir R$ 10,7 milhões em pesquisa agropecuária

O governador Paulo Hartung afirmou que o evento tem importância histórica para o agronegócio capixaba
Por:
969 acessos

O governador Paulo Hartung afirmou que o evento tem importância histórica para o agronegócio capixaba

Inovação e sustentabilidade na agropecuária, esse é o principal objetivo do maior edital de pesquisa da história do Espírito Santo, o +Pesquisa AgroCapixaba. Com investimento total de R$ 10,7 milhões, os contratos foram assinados na manhã de quinta-feira (15), no Palácio Anchieta. 

A ação inédita é resultado de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), visando o aumento da produtividade em agricultura, pecuária, aquicultura e pesca, além de promover o desenvolvimento sustentável das propriedades rurais e agregar valor à produção. Ao todos, serão financiados 90 projetos de pesquisa, que já foram selecionados, voltados para essas áreas.

Os projetos escolhidos, que serão executados em oito instituições de ensino e pesquisa do Espírito Santo — Ceplac, Incaper, Ufes, Ifes, UCL, UVV, Multivix e Idaf - serão desenvolvidos em 10 temas: Fruticultura; Mamão; Cafeicultura; Produção Animal; Pipericultura (pimenta-do-reino); Silvicultura e Sistemas Integrados de Produção; Culturas Alimentares e Floricultura; Aquicultura e Pesca; Água, Solo e Agricultura de Baixo Carbono; e Agroecologia e Agricultura Orgânica.

As pesquisas serão desenvolvidas em 22 “Redes”, de acordo com cada tema, o que vai contribuir para a integração das instituições de ensino e pesquisa capixabas, incentivando a consolidação de jovens pesquisadores, aumentando a produção técnico-científica e estimulando a interdisciplinaridade e o intercâmbio institucional. 

O governador Paulo Hartung afirmou que o evento tem importância histórica para o agronegócio capixaba. Hartung acredita que o edital é uma importante ferramenta de aproximação entre a academia e o setor produtivo com benefícios para sociedade.

"É uma reunião de trabalho muito significativa. Concluímos nestes 90 projetos um ciclo novo na área de ciências e tecnologia em uma curva de aprendizado importantíssima. A Fapes [Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes)] cresce com este movimento na criação de políticas públicas importantes. Me agrada muito, pois desde o início discutimos que era necessário aproximar a academia da vida dos capixabas. Esses recursos precisavam significar uma aproximação real. Esse edital irá auxiliar no aumento da produção e competitividade do agronegócio capixaba", destacou o governador.

O secretário de Estado da Agricultura, Octaciano Neto, explicou que as linhas de pesquisas estão conectadas com as demandas estabelecidas no Plano Estratégico de Desenvolvimento da Agricultura Capixaba (Pedeag 3). “Esse edital foi o maior publicado no Brasil nos últimos dois anos em pesquisa agropecuária está conectado com o Pedeag 3 que definiu três áreas prioritária: sustentabilidade, agregação de valor e inovação, que será essa fase. E o edital tem uma novidade que é a integração entre as instituições. O maior beneficiado com o resultado dessas pesquisas é o produtor rural”, declarou o secretário.

O diretor-presidente da Fapes, Jose Antonio Bof Buffon, destacou que os principais temas de pesquisa estão relacionados com a economia de água, tecnologia e recuperação dos solos. “No Pedeag já havia evidenciado que os principais componentes da competitividade da agricultura do Estado é a água, uma cultura capaz de conviver com pouca agua, além dos temas setoriais. E fizemos uma grande inovação no edital. Nunca se teve tantos recursos do tesouro estadual em pesquisa do agronegócio”, declarou.

O pró-reitor de pesquisa e pós-graduação da Ufes, Neyval da Costa Reis Junior, destacou que as pesquisas estão relacionadas diretamente com as demandas do Estado. “É uma proposta inovadora, diferente. Teve uma etapa importante de planejamento estratégico em cada um dos setores produtivos, com o levantamento de demandas de como a academia pode contribuir. O que o produtor precisa que seja feito? E os editais foram lançados com base nos problemas que precisam ser resolvidos”, avaliou.

O diretor-técnico do Incaper, Mauro Rossoni Júnior destacou a importância do investimento em pesquisa “É um momento para reforçar ainda mais a referência da pesquisa no Brasil e fora dele. Os projetos que são aplicados à agricultura de forma criteriosa. Fora isso, a integração entre a pesquisa e a extensão rural destaca outros produtos para além do café e da agroecologia, que já são conhecidos mundialmente”, reforçou Mauro Rossoni.

+ Pesquisa AgroCapixaba
O edital “+Pesquisa AgroCapixaba” é o primeiro fruto do Plano Estratégico de Desenvolvimento da Agricultura Capixaba (Pedeag 3), resultado do diálogo do governo com os produtores. Os projetos vão subsidiar a formulação de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento rural sustentável, a elevação da renda dos produtores, o adensamento dos arranjos produtivos, a conservação do solo e o uso racional da água.

As linhas de pesquisa foram definidas a partir das demandas identificadas na série de debates realizados em mais de 50 oficinas de trabalho em torno dos principais arranjos produtivos da agropecuária capixaba ao longo de 2016.

Um dos principais desafios apontados foi a crise hídrica e a escassez de água. Dessa forma, a expectativa é de que os projetos apontem alternativas e soluções inovadoras para mitigação dos efeitos climáticos adversos.
O resultado final do edital pode ser conferido no link: http://migre.me/vJsp5

 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink