Escoamento da safra paraguaia exigiu adequação de Itaipu
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,112 (0,05%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,12%)

Imagem: Divulgação

OPERAÇÃO

Escoamento da safra paraguaia exigiu adequação de Itaipu

Foi necessário aumentar a produção de energia em 12% para que o maior volume de água elevasse o Rio Paraná
Por: -Eliza Maliszewski
2053 acessos

A usina de Itaipu, localizada na Tríplice Fronteira, deve que adequar sua operação para garantir os escoamento da safra de grãos do Paraguai. Desde o dia 3 de agosto foi necessário aumentar a produção de energia em 12% para que o maior volume de água turbinada elevasse em um metro no nível do Rio Paraná a jusante (abaixo da barragem) da hidrelétrica, possibilitando a navegabilidade.

A ação é importante para escoar a produção paraguaia para o mercado internacional em meio a uma das mais intensas estiagens que a região vive. O transporte começou no início da manhã de terça-feira (11), quando as primeiras barcaças começaram a seguir levando grãos como trigo, arroz, milho e soja. No retorno, elas são carregadas com fertilizantes e combustíveis, para atendimento da demanda interna paraguaia. No total serão 104 barcaças e a operação segue até domingo (16). 

A medida é possível graças a um acordo feito pelas chancelarias dos dois países, com participação do Ministério de Minas e Energia, Eletrobras, Agência Nacional de Águas (ANA) e Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.
 

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink