Espanhóis criam tomate resistente a pragas

A TUTA ASBSOLUTA

Espanhóis criam tomate resistente a pragas

Planta também supera diferentes condições de estresse
Por: -Leonardo Gottems
1028 acessos

Pesquisadores do Instituto de Plantas Moleculares e Biologia Celular, uma joint venture da Universidade Politécnica de Valência e o Conselho Nacional de Pesquisa Espanhol, desempenhou um estudo que mostram como tomates geneticamente modificados aumentaram a resistência a Tuta absoluta. O projeto foi publicado na revista BMC Plant Biology.

As plantas são imóveis, isto é, nascem e crescem no mesmo lugar. Como elas não tem a habilidade de se mover quando estão sob ataque, a evolução delas traz uma grande variedade genética, permitindo às plantas superar as diferentes condições de estresse. No entanto, cerca de 49% da produção mundial desses cultivos é perdida para pragas e patógenos e 13% a insetos.

Luis Cañas, pesquisador do Instituto, explica que “o menor inseto Tuta absoluta se tornou uma das principais pragas que ameaçam as plantações de tomate em todo o mundo e sem um manejo apropriado pode causar perdas entre 80% e 100% da produção. Para enfrentar essa ameaça, temos que fortalecer o arsenal defesa da planta e uma das alternativas sendo estuadas é dar as plantas, através de engenharia genética, genes defensivos de espécies filogenaticamente distantes como inibidores de protease presentes na cevada”.

José Pío Beltrãn, também professor e pesquisador no Instituto, explica que “neste projeto o efeito in vivo de um inibidor da serina-protease e um inibidor da cistina protease foram pesquisados, isolados de uma planta de cevada, no inseto Tuta asoluta. Para fazer isso nós testamos dois inibidores separadamente bem como plantas transgênicas de tomate. As larvas de Tuta absoluta foram alimentadas por plantas duplamente transgênicas demonstraram perda notável de peso. Além disso, mais de 56% das larvas alcançaram seu estágio adulto. Esses que foram alcançando sua fase adulta tinham deformidades nas asas e redução de fertilidade”.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink