Espírito Santo entra na rota da produção de álcool
CI
Agronegócio

Espírito Santo entra na rota da produção de álcool

Estado entra na rota do álcool e começa a receber novos projetos para a produção do combustível
Por:

Após dominar as paisagens paulistas - e avançar pelos Estados do Paraná, do Mato Grosso do Sul, de Goiás e Minas Gerais -, a cultura da cana-de-açúcar chega também com maior força ao Espírito Santo.

A partir desta sexta-feira (09-03), o Estado entra na rota do álcool e começa a receber novos projetos para a produção do combustível. O grupo Donati, há 57 anos no setor agroindustrial, e a Infinity Bio-Energy, empresa inglesa criada para investir nesse setor, assinam acordo para a formação de uma joint venture.

Dessa união surgirá um pólo industrial com previsão de moagem de 3,3 milhões de toneladas de cana por ano. Em uma segunda etapa, esse volume deve ser ampliado.

O projeto da Infinity, que passa a ter o controle majoritário das ações da Disa (Destilaria de Álcool Itaúnas), está localizado no extremo norte do Estado, região que atrai também outros grupos. É o caso da Coimex, que acaba de se associar ao grupo Simão para a produção de álcool.

Nova unidade

Além da ampliação da usina existente, a Infinity vai montar uma nova unidade em Montanha (ES). Os investimentos iniciais serão de R$ 350 milhões, conforme informações do mercado. Procurada pela Folha, a empresa não confirmou os dados e disse que eles só serão divulgados oficialmente nesta sexta-feira.

Com capacidade atual de moagem inferior a 3 milhões de toneladas de cana por ano, o Espírito Santo deve dobrar esse potencial em poucos anos. As novas áreas de cana estão avançando sobre as pastagens no extremo norte do Estado.

Mesmo assim, a produção capixaba ainda será pequena em relação aos 420 milhões de toneladas moídas pelo país. Assim como a Infinity, vários outros grupos estrangeiros já chegaram ao país para investir no setor sucroalcooleiro.

Entre eles estão a francesa Louis Dreyfus Commodities Bioenergia, a japonesa Mitsui e o megainvestidor George Soros. Os investimentos estrangeiros representam atualmente 6,5% do setor, devendo atingir 10% na safra 2012/13.

A empresa

A Infinity entrou no mercado sucroalcooleiro brasileiro no ano passado, adquirindo as usinas Cridasa (ES), Usinavi (MS) e Nanuque (MG).

O objetivo da Infinity é moer 5,6 milhões de toneladas de cana na safra 2008/9 e atingir 25 milhões em 2009/10. Desse total, 18 milhões serão destinados à produção de álcool.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink