Estação de Pesquisa da Nidera recebeu visita de comitiva de diretores e melhoristas do Brasil, Argentina e Paraguai
CI
Agronegócio

Estação de Pesquisa da Nidera recebeu visita de comitiva de diretores e melhoristas do Brasil, Argentina e Paraguai

Neste primeiro ano, a empresa realizará apenas ensaios preliminares
Por:
Há seis meses instalada em Realeza, a empresa argentina, Estação de Pesquisa da Nidera Sementes, Centro de Pesquisas que desenvolve sementes tecnologicamente modificadas e adequadas ao clima de cada região sojicola, com filiais no Paraguai e no Brasil recebeu na semana passada, integrantes da equipe de pesquisa do Paraguai e Argentina visitaram a estação, instalada em Realeza pelo fato de o município estar em uma localização privilegiava pela altitude, clima e localização geográfica que são semelhantes em uma grande área de atuação da empresa.


“Tivemos o privilégio de receber a empresa em nosso município, com certeza trará empregos de alto nível para região e também poderá ter uma parceria com a UFFS na área de pesquisa”, afirmou o prefeito Eduardo Gaievski.

Neste primeiro ano, a empresa realizará apenas ensaios preliminares. A prefeitura cedeu o terreno em comodato e está localizada em um barracão que estava desativado próximo ao Viveiro Municipal, a reforma do barracão já foi realizada pela Nidera e o espaço já conta com laboratório de sementes, sala de reuniões, câmera fria e laboratório e também um espaço já plantado, de soja.


“Realeza é uma cidade que está bem localizada, abrange a mesma altitude de regiões do Paraguai, Argentina realizando uma integração entre o MERCOSUL. Existem mais duas estações de pesquisa no Brasil, uma no Mato Grosso e a outra em Goiás, o que abrange toda região sojicola que a empresa atua”, disse Gilvane Matei, gerente da unidade de Realeza.


Rodolfo Rossi, diretor de pesquisa de Soja é conhecido mundialmente como “Senhor Soja” pelo seu vasto conhecimento na área. Segundo ele, a visita de responsabilidade técnica em todas as estações de estudo da empresa é importante para análise das plantações e os estudos de melhoramento. “Há quatro anos vendemos soja no Brasil, trabalhamos com melhoramento de sementes, hoje temos produtos adaptados a praticamente todo clima brasileiro”, disse Rossi.


Acompanharam a visita Hernan Forte, Diretor Geral da Nidera Brasil, Rodolfo Rossi e José Toledo, Diretores de Pesquisa de Soja, José Gilmar Diretor Comercial da Região Sul, Claudio Godói, Mariana Gallo e Walter Stone Melhoristas.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.