Estados recebem auditoria do Mapa
CI
Agronegócio

Estados recebem auditoria do Mapa

Avaliação positiva permitirá avanço na mudança de status de febre aftosa
Por:
Avaliação positiva permitirá avanço na mudança de status de febre aftosa

Pará, Maranhão, Piauí e Pernambuco recebem até o final desta semana auditorias simultâneas do Ministério da Agricultura (Mapa) para verificar se as alterações exigidas pela pasta para que obtenham o status de livre de aftosa com vacinação foram cumpridas. A expectativa é que os quatro alcancem pelo menos o reconhecimento nacional da mudança de status até o final deste ano.


No caso do Pará, a região centro-sul do estado já é reconhecida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de aftosa com vacinação. A região centro-norte, porém, está classificada como “risco médio”, a mesma situação de Maranhão, Piauí e Pernambuco.

“Nossa preocupação não é apenas demonstrar que não há casos, pois clinicamente não existem há muitos anos, mas mostrar que estes estados têm um serviço veterinário robusto, atento e vigilante para detectar precocemente (as doenças) e agir caso seja necessário”, salienta o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Mapa, Guilherme Marques.


Caso sejam aprovados, a próxima etapa será o inquérito epidemiológico. Se alcançarem o reconhecimento da alteração de status pelo Brasil, o país encaminhará relatório para a OIE para solicitar a validação internacional.

Para que isso ocorra a demanda terá que passar por três etapas na OIE. A primeira é a aprovação pelo grupo Ad hoc. Superada esta etapa, especialistas avaliarão a decisão e encaminharão sua resposta – se favorável - para análise dos membros da OIE. Com um retorno positivo nesta fase será oficializada a alteração, o que está previsto para maio.

No caminho

Ceará e Goiás terão auditoria na primeira semana de março. Caso tenham atingido as metas propostas pelo Mapa, poderão seguir para o inquérito epidemiológic nos próximos meses e se juntar ao trabalho realizado com Pará, Maranhão, Piauí e Pernambuco .


Se isso ocorrer, Rio Grande do Norte e Paraíba ficarão impossibilitados de movimentar gado para fora de suas fronteiras até que alcancem o mesmo status. “São regras internacionais que temos que cumprir à risca sob pena de prejudicar o trabalho feito nos demais Estados”, esclarece.

Conforme o Mapa, 15 Estados são reconhecidas pela OIE como livres de febre aftosa com vacinação: Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo, Sergipe, Tocantins e o Distrito Federal, além dos municípios de Guajará e Boca de Acre, no Amazonas; e a região centro-sul do estado do Pará. Santa Catarina é o único estado livre de aftosa sem vacinação.


São tidos como de “risco médio” Alagoas, Ceará,Maranhão, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, além da região centro-norte do Pará. Roraima, Amapá e demais áreas do Amazonas são classificadas como de “alto risco”.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.