Estados Unidos autoriza exportação de carne suína “in natura” catarinense


Agronegócio

Estados Unidos autoriza exportação de carne suína “in natura” catarinense

Por:
154 acessos
Em telefonema com o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, nesta terça-feira (10), o governador Raimundo Colombo recebeu a confirmação de que os Estados Unidos autorizaram a compra de carne suína “in natura” dos frigoríficos catarinenses. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) também comunicou ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) o reconhecimento do serviço de inspeção de carne suína do Brasil. O anúncio foi feito quando Colombo retornava de férias do próprio país norte-americano.


Santa Catarina será o Estado privilegiado, já que é o único do Brasil com permissão para exportar carne fresca (in natura). Os demais Estados só poderão vender carne termicamente processada. A condição se deve ao fato de Santa Catarina ser o único Estado brasileiro livre de febre aftosa sem vacinação, o que é exigência dos principais mercados consumidores. “Essa é uma política de Estado e que todos os catarinenses da área merecem aplausos, pois mantemos uma segurança e fiscalização muito grande para continuarmos com este título, que é de vital importância para o desenvolvimento do agronegócio”, ressalta o governador Raimundo Colombo.

As exportações serão iniciadas após a habilitação dos estabelecimentos comerciais e a realização de missões empresariais, o que deve ocorrer ainda neste primeiro semestre. Os Estados Unidos importam 400 mil toneladas/ano e exportam 900 mil toneladas/ano, e a expectativa do Governo de Santa Catarina é vender 40 mil toneladas/ano a partir de 2012.


Abertura de novos mercados
Atualmente, Santa Catarina exporta 250 mil toneladas de carne suína por ano e vem realizando missões técnicas para abertura de novos mercados. Durante visita à Ásia, em outubro de 2011, o governador Raimundo Colombo manteve conversa com os ministérios da Agricultura do Japão e da Coreia do Sul para a autorização de exportação da carne suína catarinense.

O presidente da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Enori Barbieri, estima que o Estado possa conquistar 30% do mercado japonês, que é o maior e que melhor paga. “Projetamos exportar cerca de 400 mil toneladas de carne suína ao Japão”, conclui Barbieri.


Já a Coreia do Sul é o terceiro país que mais importa carne suína, atrás apenas do Japão e da Rússia, com 400 mil toneladas/ano. O Governo de Santa Catarina estima conquistar US$ 100 milhões com as negociações. “Queremos ganhar 10% do mercado e exportar 40 mil toneladas anualmente”, explica Colombo.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink