Estoques mundiais de soja caem 1,3%

Agronegócio

Estoques mundiais de soja caem 1,3%

Por:
1 acessos

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda) revisou para baixo sua projeção para os estoques mundiais de soja. No final da safra 2004/05, o volume disponível de soja deve ser de 61,40 milhões de toneladas, 1,3% abaixo do projetado no relatório de novembro. Essa redução não é resultado do aumento da demanda mundial, mas de uma revisão dos números da safra anterior, a 2003/04.

A agência americana reviu os números de consumo e exportações do Brasil para a safra 2003/04. As vendas externas, projetadas em 19,81 milhões de toneladas, devem ser 3% maiores e poderão alcançar 20,42 milhões de toneladas. O consumo, que em novembro era de 31,90 milhões de toneladas, será 1,1% maior, de 32,25 milhões de toneladas.

"Apesar dessa alteração, o relatório não trouxe nenhuma novidade, apenas pequenas mudanças", diz Renato Sayeg, da Tetras Corrretora. O relatório não surtiu grande efeito sobre os contratos futuros da soja na bolsa de Chicago. Os contratos para março subiram 1,2%, para 533 centavos de dólar o bushel, ou US$ 11,75 a saca. Nos últimos 12 meses, as cotações acumulam queda de 32,1% na bolsa.

"Não foi um relatório que pudesse provocar uma alta exacerbada dos preços", diz um trader, de São Paulo. "Foi um típico relatório de dezembro, ou seja, sem grandes mudanças", afirma.

A safra mundial deverá ser de 231,02 milhões de toneladas, 0,4% maior que a estimada em novembro. Em 2004/05 o mundo deverá colher a maior safra de soja de todos os tempos, prevê o Usda.

A produção brasileira foi mantida em 64,5 milhões de toneladas. Para a Argentina, a previsão também ainda é a mesma, de uma colheita de 39 milhões de toneladas. Os números para os Estados Unidos também permaneceram inalterados em 85,74 milhões de toneladas de soja. O Usda revisou seus números para a safra chinesa, que foi aumentada em 2,8%, para 18 milhões de toneladas. O clima favorável ao desenvolvimento resultou numa produção maior que a inicialmente estimada.

As importações da China foram mantidas em 22 milhões de toneladas na estimativa da agência americana. O resultado permaneceu inalterado apesar do governo chinês ter recentemente anunciado que poderia reduzir suas importações para até 19 milhões de toneladas.

De acordo com o Usda, o preço médio da soja na safra 2004/05 nos Estados Unidos deve ficar entre 460 centavos e 530 centavos de dólar o bushel, ou entre US$ 10,14 e US$ 11,68 a saca de 60 quilos.

Citros:

Os futuros do suco de laranja registraram forte alta de 2,6% na sexta-feira na bolsa de Nova York em razão da redução da safra americana de citros. Os contratos com entrega em março foram negociados a 84,45 centavos de dólar o bushel.De acordo com o Usda, a safra de citros da Flórida, maior estado produtor dos Estados Unidos, deve ser de 168 milhões de caixas, ou 5% menor que a estimativa anterior, de 176 milhões de caixas. Se confirmada, essa será a menor colheita desde 1991/92.

A estimativa de produção foi revista em razão da passagem de três furacões pelas áreas produtoras nos meses de setembro e outubro. Embora uma revisão fosse esperada, a queda foi maior do que o previsto.

Segundo um trader de São Paulo, as frutas estão menores. "Aparentemente, os produtores vão precisar colocar de seis a nove laranjas a mais em uma caixa para que ela alcance o peso-padrão", diz.

Algodão:

A safra de algodão dos Estados Unidos deve alcançar 22,82 milhões de fardos, prevê o Usda, o que representa um crescimento de 1,2% em relação à projeção feita em novembro pelo departamento.

O aumento da produção na região do Delta americano e sudeste do país ajudou a compensar a quebra de safra no Texas.

Segundo o relatório, a safra brasileira foi mantida em 5,85 milhões de fardos. As exportações, inicialmente projetadas em 2 milhões de fardos, foram revistas para cima e devem totalizar 2,1 milhões de fardos em 2004/05.

O Paquistão deverá ter uma safra 8,1% maior na comparação com o relatório de novembro. A colheita deve chegar a 10 milhões de fardos. O país, grande exportador mundial, deve embarcar 250 mil fardos neste ano-safra.

Trigo:

A estimativa para a safra de trigo da Argentina - maior fornecedor do grão para o Brasil - foi mantida em 15 milhões de toneladas. As exportações do país ficaram inalteradas em 9 milhões de toneladas.

Para o Brasil, a produção foi mantida em 5,8 milhões de toneladas e as exportações, em 200 mil toneladas de trigo. O Brasil deverá importar 5 milhões de toneladas.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink