Evento discutiu novos horizontes para o setor de sementes

Agronegócio

Evento discutiu novos horizontes para o setor de sementes

A 35ª edição do Ciclo de Reuniões Conjuntas da Comissão de Sementes e Mudas do Paraná contou com a participação da Biotrigo Genética
Por:
2651 acessos

A 35ª edição do Ciclo de Reuniões Conjuntas da Comissão de Sementes e Mudas do Paraná contou com a participação da Biotrigo Genética

 

Com o slogan “Semeando o Amanhã”, o 35º Ciclo de Reuniões Conjuntas da Comissão de Sementes e Mudas do Paraná (?CSM-PR) reuniu todos os elos da cadeia de produção de sementes em Foz do Iguaçu/PR. O evento, que marcou os 45 anos da entidade, ocorreu entre os dias 22 e 25 de agosto. Neste ano, a Biotrigo Genética abordou em palestra um tema relevante para a cultura do trigo, que é o avanço em qualidade tecnológica.

Segundo a supervisora de qualidade industrial e novos negócios da Biotrigo, Kênia Meneguzzi, existem diferentes percepções do que é qualidade para o produtor, moageiro, padeiro e consumidor e, por isso, a Biotrigo desenvolveu um trabalho para entender esses diferentes conceitos e auxiliar a cadeia tritícola. “Começamos a entender que existem algumas cultivares com vocação para panificação e outras não. Além disso, percebemos como deveria se organizar o mercado para atender os diferentes nichos de biscoito, massa e o mercado do branqueador”. Kênia também explicou o comportamento das diferentes farinhas e a relevância do mercado de panificação, que abrange mais de 55% do todo. “Apesar disso, os nichos de massa e biscoito existem e são bem significativos, respectivamente 15% e 11%, segundo dados da ABITRIGO, mas para isso a produção deve estar segregada e, por isso, a Biotrigo desenvolve projetos a fim de organizar a cadeia para que esses nichos sejam atendidos", explicou.

A supervisora finalizou a palestra ressaltando alguns pontos importantes na qualidade do trigo, como resistência à giberela e germinação na espiga e a utilização de cultivares que consigam manter o PH e o PMS, o que representa maior rentabilidade para a indústria, produtividade e liquidez para o produtor. “É importante também na escolha da semente analisar o mercado em que está inserido (panificação, pastifício, biscoito, branqueador) para que possa escolher a cultivar adequada. Assim, a comercialização será mais fácil”, finalizou.

Comissão de Sementes e Mudas do Paraná

Segundo o gerente regional Norte da Biotrigo, Fernando Michel Wagner, o Ciclo de Reuniões Conjuntas da Comissão de Sementes e Mudas do Paraná (CSM-PR é focado aos multiplicadores de sementes e mudas, mas reúne todos os players interessados nessa cadeia de produção. Desde empresas de embalagens, máquinas, laboratórios, obtentores, multinacionais ligadas à proteção de cultivos e agricultores. “Essa edição buscou apresentar novas alternativas para esse setor que tanto batalha. Graças à pesquisa e a uma boa produção de sementes, a produtividade das áreas aumentou muito ao longo dos anos”, destaca. Para a Biotrigo Genética, que já participou de outras edições do ciclo, o momento foi de encontrar com os clientes, agricultores e, principalmente, com os multiplicadores da sua genética. Em homenagem aos 45 anos Comissão de Sementes e Mudas do Paraná, a Biotrigo realizou a entrega de uma placa para o Presidente da Comissão, Scylla Peixoto Filho.

Sobre a Biotrigo Genética

Fundada em 2008, a Biotrigo traz na bagagem um programa de melhoramento genético com mais de duas décadas e vêm incorporando as mais modernas tecnologias às cultivares Biotrigo (TBIO), com o objetivo de levar qualidade, tecnologia, segurança e maiores rendimentos ao produtor e a toda cadeia. Localizada em Passo Fundo, região Norte do Rio Grande do Sul, e com filial em Campo Mourão, no Paraná, a empresa atende a diversos estados do território brasileiro, além de exportar para países do Mercosul e América do Norte. Atualmente, é detentora de aproximadamente 85% de market share no Rio Grande do Sul, 60% no Paraná e 65% no Brasil.

Portfólio TBIO

Atualmente no mercado brasileiro existem mais de 40 cultivares disponíveis para semeadura, sendo que menos de 10 representam 80% da área de cultivo e dessas, mais de 60% fazem parte do portfólio da Biotrigo Genética. São diversas as opções oferecidas pela Biotrigo aos triticultores e ao mercado moageiro, como trigos com aptidão à panificação, melhoradores, massas, biscoitos e trigos branqueadores. As cultivares TBIO oferecem um conjunto de excelentes características agronômicas, especialmente no que se refere ao complexo de doenças do trigo, destacando entre elas, a reação às manchas foliares, doenças de espiga e a resistência à germinação na espiga; com ciclos curto, médio e médio tardio; entre outras características.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink