Ex-ministro argentino critica intervenção no preço da carne

Imagem: Pixabay

MUNDO

Ex-ministro argentino critica intervenção no preço da carne

Entidades do setor também criticaram a medida
Por: -Leonardo Gottems
855 acessos

O ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Pesca da Argentina, Luis Miguel Etchevehere, criticou a medida do governo que busca controlar os preços da cadeia de carne. Os frigoríficos também alertam que esta medida complica ainda mais a cadeia em meio a um contexto complexo marcado pelo Covid-19. 

"Qualquer um sabe que a intervenção no mercado atingirá o efeito oposto ao desejado", disse ele. "O preço da carne é formado pela oferta e pela demanda. Por causa do Coronavírus e por muitas outras razões, o fornecimento de carne não é tão normal quanto deveria ser, apesar dos esforços da cadeia”, completou. 

De acordo com o governo, os estabelecimentos de abate devem informar o preço semanal e serão abertas investigações para determinar possíveis infrações à Lei de Defesa da Concorrência devido a aumentos injustificados de preços nesse setor. Além disso, a decisão do governo também inclui a obrigação dos estabelecimentos de reportar semanalmente à Subsecretaria de Ações de Defesa do Consumidor a quantidade diária de quilos de res e couro bovino comercializado, bem como a categoria de origem desses produtos. 

Por meio desse regime, o Ministério do Comércio Interno informou que busca esclarecer o desempenho da cadeia de marketing e identificar comportamentos abusivos em qualquer vínculo, com o “objetivo de defender o bolso dos consumidores e os interesses das empresas que eles fazem parte do setor”. 

"Mantemos que o mercado de carnes é um dos mercados mais transparentes que o país possui devido ao número de fornecedores e solicitantes existentes", acrescentou Daniel Urcia, vice-presidente da Federação das Indústrias Regionais de Refrigeração da Argentina (FIFRA). Portanto, "consideramos que qualquer intenção de intervir no mercado certamente terá efeitos distorcidos, como foi experimentado no passado". 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink