Expogenética quer aproximar os avanços científicos do dia a dia na propriedade

Agronegócio

Expogenética quer aproximar os avanços científicos do dia a dia na propriedade

A ideia é fazer com que o Brasil não seja apenas o dono do maior rebanho bovino no mundo. Mas que seja o país que tenha também os animais de melhor qualidade
Por:
268 acessos

Começou, em Uberaba, no triângulo mineiro, a Expogenética. Este ano, o objetivo da feira é encontrar soluções para aproximar os avanços científicos do dia a dia na propriedade.

Nesta semana, em Uberaba, um encontro organizado pela Associação Brasileira dos Criadores de Zebuínos apresenta as novidades em inseminação artificial aplicadas no campo.

A exposição deve movimentar cerca de R$ 6,5 milhões entre venda de equipamentos, leilões e comercialização de novas técnicas. Estão expostos 400 animais de elite. A previsão é que 1,1 mil sejam leiloados.

Mais do que discutir a expansão desses programas de melhoramento, a Expogenética quer aproximá-los do que pede o mercado. A ideia é fazer com que o Brasil não seja apenas o dono do maior rebanho bovino no mundo. Mas que seja o país que tenha também os animais de melhor qualidade.

“Aqui é que se está discutindo o tipo de carcaça que queremos no futuro, que tipo de animal produzindo leite no futuro e que os vários elos discutam juntos e a gente defina para onde a genética quer seguir”, disse Gerson Simão, gerente da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu.

Num evento, representantes da cadeia produtiva da carne e do leite defenderam parcerias para que o Brasil avance no desenvolvimento da pecuária.

“O próprio melhoramento genético precisa estar muito bem alinhado para que o Brasil consiga produzir de maneira a atender as exigências de mercado interno e de mercado externo”, falou Priscila Souza, gerente técnica da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne.

“Eu acho importantíssima essa reunião da cadeia produtiva. Eu acho que o Brasil chegou a um ponto de amadurecimento onde os atores, começando no produtor e terminando no supermercado e no consumidor, vale a pena começar a falar a mesma linguagem para melhorar cada vez mais não só a qualidade da carne, mas a rentabilidade de toda a cadeia produtiva”, disse Milton Dallari, representante da Associação Brasileira de Supermercados.

A Expogenética, em Uberaba, termina no domingo.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink