Exportação de carne bovina de MS para Irã triplica em 2014
CI
Agronegócio

Exportação de carne bovina de MS para Irã triplica em 2014

Quase 3,5 mil toneladas foram embarcadas entre janeiro e abril
Por:

As vendas internacionais de carne bovina in natura para o Irã acumularam 3,4 mil toneladas entre janeiro e abril deste ano, volume três vezes maior que as exportações registradas no mesmo período do ano passado, quando o mesmo país importou 1,1 mil toneladas da carne bovina sul-mato-grossense.  As informações constam no Informativo Casa Rural divulgado pelo Departamento Econômico da Federação da Agricultura e Pecuária de MS, na última sexta-feira (06.06).

Para a gerente econômica do Sistema Famasul, Adriana Mascarenhas, a venda para  os iranianos, que ocupa hoje a quinta posição no ranking de países compradores da carne bovina de Mato Grosso do Sul,  representa uma excelente uma recuperação de mercado, já que em 2011 o Irã era o maior importador da carne bovina in natura do Estado, com 7,2 mil toneladas no primeiro quadrimestre daquele ano.  Os embarques internacionais para o Irã representam 6,7% do total contabilizado em 2014.

“É estratégico para o mercado sul-mato-grossense vender a diversos países. E o estreitamento com o mercado iraniano é uma conquista para a pecuária do Estado, considerando que o valor pago por eles é maior do que em outros países”, ressaltou Adriana, tomando como exemplo as exportações de abril, quando o Irã pagou US$ 4,49 pelo quilo da carne, enquanto que a carne paga pela Rússia, maior importadora, apresentou média de US$ 3,97 o quilo.

Exportações totais

Entre janeiro e abril deste ano, os embarques internacionais da carne bovina in natura produzida em Mato Grosso do Sul totalizaram 50,4 mil toneladas, 19,7% a mais que em 2013, quando o volume exportado atingiu 42,1 mil toneladas. Mérito do pecuarista sul-mato-grossense na avaliação do presidente do Sistema Famasul, Eduardo Riedel. “O resultado comprova a eficiência do produtor rural que investe em tecnologia constantemente, por intermédio do melhoramento genético e do cuidado nutricional e sanitário dos bovinos”, destacou Riedel.

Adriana Mascarenhas afirma que os números refletem o movimento do setor que é de demanda aquecida e oferta restrita. “Eventos como a Copa do Mundo prestes a acontecer no país aquecerão tanto o mercado interno como externo,  aumentando o desequilíbrio entre oferta e demanda, puxando para cima os preços do setor”.

De acordo com os dados do Informativo Casa Rural, em abril foram abatidos 314,3 mil bovinos em Mato Grosso do Sul, 9,3% a menos que em abril de 2013, quando os abates somaram 346,7 mil cabeças.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink