Exportação de carne de frango dos EUA volta a apresentar evolução positiva

Agronegócio

Exportação de carne de frango dos EUA volta a apresentar evolução positiva

Os dados do USDA mostram que as exportações de carne de frango dos EUA totalizaram 267.765 toneladas, aumentando 1,66%
Por:
256 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Os dados do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) mostram que em setembro passado as exportações de carne de frango dos EUA totalizaram 267.765 toneladas, aumentando 1,66% sobre o mês anterior e 21,78% sobre setembro de 2015. Foi, também, o maior volume alcançado desde abril do ano passado.  Como esse foi o terceiro mês consecutivo de incremento em relação ao mesmo mês do ano anterior, o resultado negativo registrado até agosto passado apresentou reversão. Ou seja: entre novembro de 2014 e agosto de 2016 (22 meses) o volume acumulado no decorrer do ano apresentou regressão em comparação a idêntico período anterior. Mas, em função dos últimos resultados, o acumulado entre janeiro e setembro de 2016 apresenta incremento de 1,88%.

Naturalmente, isso ainda não reverte o quadro dos últimos 12 meses, pois o volume embarcado nesse período, de pouco mais de 2,9 milhões de toneladas, permanece cerca de 3% abaixo do registrado em idêntico período anterior. Mas é um índice que, no trimestre final do corrente exercício, tende não só à diluição, mas também à reversão.

Supondo-se, neste caso, que o volume embarcado entre outubro e dezembro mantenha a mesma média dos nove meses anteriores – perto de 248 mil toneladas mensais – o total anual, da ordem de 2,970 milhões de toneladas, será quase 4% superior aos 2,867 milhões de toneladas de 2015.

Mesmo assim, as exportações norte-americanas de carne de frango continuarão inferiores às registradas entre 2008 e 2014, período em que variaram de um mínimo de 3,067 milhões de toneladas (2010) até um máximo de 3,332 milhões de toneladas (em 2013, ou seja, no ano anterior ao surgimento dos primeiros focos de Influenza Aviária no país). 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink