Exportação de milho segue em baixa
CI
Imagem: Eliza Maliszewski
GRÃOS

Exportação de milho segue em baixa

Comercialização no Mato Grosso também vem em ritmo lento para safra futura
Por: -Eliza Maliszewski

Segundo dados divulgados pela Secex, o volume exportado de milho pelo país em fev.22 apresentou queda de 7,57% ante o mês passado e totalizou 716,49 mil toneladas. O recuo foi motivado, principalmente, pela quebra de safra nos estados da região sul, os quais possuem uma maior participação nas exportações durante este período, devido ao cultivo da primeira safra. Seguindo o ritmo nacional, MT apresentou recuo de 15,39% ante a jan.22 e finalizou fev.22 com 298,25 mil t escoado para o exterior, movimento este influenciado pelo período de entressafra.

Nesse sentido, até o momento, o total exportado pelo estado já soma 15,28 milhões de toneladas na safra 20/21 (jul.21 a jun.22), o que corresponde a 90,00% do volume total exportado estimado pelo Imea para a safra atual. Por fim, para os próximos meses até jul.22 - quando se inicia a colheita da segunda safra - é da manutenção dos menores volumes exportados, consequência do cenário atual no sul do Brasil e da menor oferta do milho em MT.

O Imea divulgou o acompanhamento da comercialização de milho em MT referente a fev.22. De acordo com o Instituto, as safras 20/21, 21/22 e 22/23 apresentaram avanços de 0,91 p.p., 2,31 p.p. e 1,15 p.p. ante jan.22, respectivamente, e finalizaram o mês com 99,69%, 50,79% e 6,51% da produção esperada já negociada, na mesma ordem. Para o mês, os destaques foram os preços médios, que apresentaram aumentos significativos de 10,01% na safra 20/21, 10,77% na 21/22 e 7,88% na 22/23.

Esse cenário se deve, principalmente, à valorização dos contratos corrente e futuro na CME-Group, um reflexo das preocupações do mercado com o abastecimento das commodities em meio aos conflitos entre a Rússia e a Ucrânia. No caso da safra 20/21, aliada ao fator anterior, há também a menor oferta do produto no período. Já para a safra 22/23, outro fator que contribui para a elevação nos preços é a crescente incerteza do mercado futuro quanto à oferta de insumos, bem como o comportamento dos preços.

 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.