Exportação de suíno do MT é 20 vezes maior em 2004

Agronegócio

Exportação de suíno do MT é 20 vezes maior em 2004

Por:
1 acessos

O balanço parcial das exportações de carne suína deste ano mostra que o avanço em Mato Grosso foi significativo e supera o desempenho de 2003. Entre janeiro e outubro de 2004 foram vendidos US$ 2,7 milhões ao exterior, quantia quase 20 vezes maior do que os US$ 141,7 mil do mesmo período de 2003. Os dados são do Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt) e confirmam o bom desempenho da atividade na economia do Estado.

Ao todo, a exportação de carne suína foi de 1,8 milhão de quilos nos primeiros dez meses do ano, quantidade bem superior aos 146,5 mil quilos do mesmo período de 2003. A consolidação de mercados asiáticos, como a Coréia do Sul e Hong Kong, foram fundamentais no bom desempenho. O embargo da Rússia às exportações da carne brasileira - o maior importador da carne suína produzida em Mato Grosso – em meados deste ano não chegou a causar prejuízos ao setor que conseguiu redirecionar a produção para outros mercados de acordo com a Associação de Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat).

Com a liberação das exportações carne de Santa Catarina para a Rússia anunciada, no início desta semana, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a expectativa agora do setor é que o mesmo aconteça com a carne produzida em Mato Grosso "Temos garantia de qualidade de produção e sanidade dos animais para que isso aconteça", disse o presidente da Acrismat, Raulino Teixeira Machado.

Obviamente, os números da balança externa refletem a realidade encontrada nas granjas de Mato Grosso, que são reconhecidas pela segurança sanitária e por serem altamente tecnificadas. Em 2000, ano de retomada da suinocultura no Estado, havia 77.858 matrizes. Em 2004, já são 132.075, um crescimento de 169%. Outros indicadores de desempenho também são computados pela Acrismat.

Em conseqüência da qualidade e do aumento da oferta da carne suína, cresceram os investimentos na agregação de valor dessa matéria-prima. Somente os três frigoríficos instalados no Estado que possuem o selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF) passaram por ampliações e hoje somam capacidade de abater 2,1 mi cabeças por dia.

Esses indicadores e outros temas ligados ao desenvolvimento da atividade suinocultora serão abordados a partir desta quinta-feira (25-11) dentro da programação do Seminário Anual de Suinocultura, que será realizado em Cuiabá.

O tema "Desafios do mercado e fatores de competitividade na suinocultura", será tratado na primeira palestra com o diretor superintendente da Agroceres - PIC, Fernando Antônio Pereira. Assuntos técnicos como o manejo de dejetos de suínos com o uso de biodigestores, homeopatia no tratamento de suínos e gerenciamento da produção também estão na programação do evento.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink