Exportações argentinas de carne caem 59% em volume e 42% em receita

Agronegócio

Exportações argentinas de carne caem 59% em volume e 42% em receita

País perde espaço no mercado externo
Por: -Mauro Zafalon e Karla Domingues
619 acessos

A Argentina perde espaço no mercado externo em um dos seus principais produtos: a carne bovina.

Dados de ontem da Senasa (organismo federal que certifica a qualidade da carne no país) mostram que as exportações externas de carnes frescas recuaram para 123 mil toneladas até outubro, 59% menos do que o volume de igual período anterior.

Além da perda de renda e de poder do setor de carnes, a redução nas vendas externas representa grande perda de receitas. Neste ano, o setor de carnes frescas arrecadou apenas US$ 623 milhões, 42% menos do que de janeiro a outubro de 2009.

A soma total das exportações do setor de pecuária -incluindo carnes, leite, produtos processados e couro- recuou para US$ 2,3 bilhões, abaixo dos US$ 2,5 bilhões de 2009.

As perdas não se restringem apenas às carnes, mas o país também perde força no leite, outro produto tradicional nas exportações. Até outubro, as vendas externas do país recuaram para 121 mil toneladas. Já as receitas, devido à alta de 48% no valor da tonelada, subiram 22%.

O Brasil foi importante para o vizinho. Os argentinos venderam 69 mil toneladas de carnes e derivados para o Brasil.

No setor de leite, o Brasil continua sendo importante para a Argentina, mas o país perdeu o posto de principal importador, que foi assumido pela Venezuela.

Neste ano, as compras brasileiras de leite somaram 27 mil toneladas, 25% menos do que em igual período do ano anterior.
Os argentinos perdem espaço também no setor de queijos. As exportações totais do país caíram 16% em volume neste ano, para 35 mil toneladas. Já o Brasil elevou as importações em 27%.

Mais queda A arroba de boi gordo voltou a cair e fechou em R$ 108,90, segundo acompanhamento de preços do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada). A queda foi de 1,4%.

Pluma O algodão, outro produto que vinha com grande pressão nos preços, voltou a cair ontem no mercado interno. O Cepea apurou queda de 1% no preço, que recuou para R$ 2,69 por libra-peso (454 gramas).

Nova queda O feijão voltou a cair ontem, segundo dados do IEA (Instituto de Economia Agrícola). Os preços médios recuaram para R$ 92,50 por saca -baixa de 10%.

Na Irlanda Já em 24 países, a Miolo Wine Group consegue mais um mercado à sua lista: o da Irlanda. Líder brasileira na exportação de vinhos finos, os produtos da empresa gaúcha estarão disponíveis nos bares, em hotéis e nos restaurantes daquele país.

Comercialização de soja é de 57% em Mato Grosso

Pelo menos 57% da safra de soja de Mato Grosso que está sendo semeada já foi comercializada, segundo o Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária). O movimento ocorre devido ao aumento do preço da saca da soja no mercado internacional. No mesmo período do ano passado, a comercialização atingia 30%.

Já a venda de milho está praticamente no final. Devido aos leilões da Conab, faltam apenas 250 mil toneladas, o que mostra que 97% do produto já foi comercializado. No ano passado, as vendas somavam 80%.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink