Exportações crescem 22,8% em Minas Gerais

Agronegócio

Exportações crescem 22,8% em Minas Gerais

Até o encerramento de agosto, Minas Gerais já havia embarcado 6,47 milhões de toneladas de produtos agrícolas
Por:
683 acessos

Até o encerramento de agosto, Minas Gerais já havia embarcado 6,47 milhões de toneladas de produtos agrícolas

Em Minas Gerais, o volume de produtos oriundos da atividade agropecuária exportado, ao longo dos primeiros oito meses do ano, apresentou alta de 22,8%, com o embarque de 6,47 milhões de toneladas. Apesar do incremento, a queda de 21,6% no preço médio da tonelada fez com que o faturamento gerado com as exportações recuasse 3,7%, somando US$ 4,74 bilhões. O setor representa 34,1% das exportações totais de Minas Gerais, ante a participação de 33,4% registrada no ano anterior. O superávit gerado pela atividade responde por 46,63% do valor estadual.
 
Segundo o relatório da Seapa (Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), o preço médio da tonelada, praticado entre janeiro e agosto de 2015, foi de US$ 936,27. Já em igual período de 2016, o valor recuou para US$ 733,9 por tonelada, retração de 21,6%. Até o encerramento de agosto, Minas Gerais já havia embarcado 6,47 milhões de toneladas de produtos agrícolas e pecuários, volume 22,8% superior aos 5,26 milhões de toneladas exportadas em igual intervalo de 2015.
 
No mesmo período, as importações do agronegócio somaram US$ 315 milhões, frente ao valor de US$ 294 milhões movimentados anteriormente, aumento de 7,27%. Ao todo, Minas Gerais importou 6,1 milhões de toneladas de produtos agropecuários, frente aos 5 milhões de toneladas importadas anteriormente, aumento de 23,24%.
 
A balança comercial do agronegócio gerou superávit de US$ 4,43 bilhões, retração de 4,42% quando comparado com os US$ 4,6 bilhões gerados em igual intervalo de 2015. O saldo comercial do setor responde por 46,63% do superávit total do Estado, que no intervalo ficou em US$ 9,5 bilhões.
 
Nos oito primeiros meses do ano, Minas Gerais exportou os produtos do agronegócio para 165 países, tendo a China como principal destino e respondendo por 20% de todas as vendas. Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar, respondendo por 10%. Em terceiro, a Alemanha, com 9% de participação.
 
Café

O café, principal produto da agropecuária estadual, apresentou retração no faturamento gerado com as negociações externas. De acordo com a Seapa, a receita ficou em US$ 2 bilhões, ante os US$ 2,38 bilhões em 2015, queda de 15,3%. Em relação ao volume, a alta ficou em 6,2% com a exportação de 796,8 milhões de toneladas do produto. O preço pago pela tonelada do café está 18,55% menor, com o volume avaliado em US$ 2,5 mil.
 
De acordo com a assessora técnica Seapa, Manoela Teixeira de Oliveira, as negociações do café devem ganhar maior ritmo ao longo dos próximos meses.
 
“As negociações do café estão mais lentas, provavelmente porque os produtores estão segurando um pouco as vendas para alcançar melhores preços futuramente, uma vez que os estoques mundiais de grãos estão baixos”, explicou.
 
Carnes

O faturamento com as exportações do grupo das carnes caiu 0,7%, com a movimentação de US$ 530 milhões, enquanto o volume cresceu 10%, com a exportação de 248,9 milhões de toneladas.
 
Os embarques de carne bovina recuaram 5,2% em faturamento, US$ 243,5 milhões, e aumentou 1,8% em volume, que somou 64,2 milhões de toneladas.
 
O volume de carne de frango destinado ao mercado externo somou 151,9 milhões de toneladas, alta de 11%. O faturamento ficou 0,4% menor e alcançou US$ 214,8 milhões.
As exportações de carne suína movimentaram US$ 26,3 milhões, elevação de 36,2%. Em relação ao volume, a alta foi de 64,6%, somando 15 milhões de toneladas exportadas.
 

Receita do complexo soja aumentou 8,4%

Um produto que vem ganhando espaço nas exportações do agronegócio é a soja. Entre janeiro e agosto as exportações do complexo soja avançaram 8,4% em faturamento, somando US$ 863 milhões.
 
Em volume, a alta ficou em 17,4%, com o embarque de 2,33 milhões de toneladas. As exportações de soja em grão cresceram 13,9% em faturamento, US$ 814,5 milhões, e 21,2% em volume, com 2,2 milhões de toneladas exportadas.
 
“As exportações estão em alta devido à soja em grão, que vem aumentando a participação relativa nas negociações do agronegócio com o exterior. Até o momento, o setor representa 17,25% do volume total exportado. No ano passado a participação era de 11,8%. A China é a principal responsável pelas compras do complexo soja, respondendo por  69,7% do volume exportado”, informou a assessora técnica Seapa, Manoela Teixeira de Oliveira.
 

Setor sucroalcooleiro tem incremento de 50,8%

Assim como a soja, as exportações do setor sucroalcooleiro também estão maiores. O segmento movimentou US$ 683,5 milhões, entre janeiro e agosto de 2016, elevação de 50,8% em relação a igual período do ano anterior. Em volume, os embarques somaram 2 milhões de toneladas, crescimento de 47,3%.
 
As exportações de açúcar cresceram 51% em faturamento, US$ 662,2 milhões, e 47,6% em volume, com a exportação de 1,98 milhão de toneladas. No caso do etanol, o faturamento, US$ 19,5 milhões, ficou 48,8% maior e o volume, 27,2 mil toneladas, cresceu 33,1%.
 
“A demanda e os preços valorizados do açúcar no mercado internacional contribuíram para o resultado positivo do setor”, explicou a assessora técnica da Seapa, Manoela Teixeira de Oliveira.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink