Exportações

Exportações de café apresentam crescimento em outubro

Receita cambial ultrapassou US$ 460 milhões como resultado
Por:
107 acessos

Receita cambial ultrapassou US$ 460 milhões como resultado das mais de 2,7 milhões de sacas exportadas
 
O mês de outubro apresentou um aumento no volume de exportações de café brasileiro. Foram 13,2% a mais na comparação com o mês anterior, de acordo com relatório divulgado pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Com isso, o total de sacas exportadas no período foi de 2.747.367, com receita cambial chegando a US$ 460,1 milhões e o preço médio em US$ 167,48.


 
No acumulado do ano civil (janeiro a outubro de 2017), o Brasil já exportou mais de 24,7 milhões de sacas, o que representa uma queda de 10,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. A receita cambial também seguiu o mesmo movimento, chegando a US$ 4,2 bilhões. Entre as variedades embarcadas, o café arábica correspondeu por 87,8% do volume total de exportações (21.718.328 sacas), seguido pelo solúvel com 11,3% (2.803.495 sacas) e robusta com 0,8% (208.276 sacas).

 
“Encerramos o mês de outubro com a exportação de mais de 2,7 milhões de sacas, dando sequência ao cenário dos meses anteriores. Com isso, temos a indicação de que o fechamento do ano civil alcance em torno de 30/31 milhões de sacas exportadas, número inferior ao dos anos anteriores, como resultado da grande influência climática na cafeicultura brasileira e, consequentemente, pela menor produção de café. Esperamos que, no próximo ano cafeeiro, o setor consiga retomar a velocidade das exportações e também com a próxima safra, que tem estimativa de início de colheita em cerca de seis meses”, afirma o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

 
Principais destinos
 
No acumulado do ano civil, os Estados Unidos continuam na liderança do consumo do café brasileiro, com 19,9% de participação (4.937.274 sacas). Na sequência, surge a Alemanha com 17,4% (4.302.580 sacas). O ranking ainda conta com Itália com 9,3% (2.296.191 sacas), Japão com 6,9% (1.714.302 sacas) e Bélgica com 5,7% (1.413.896 sacas).

 
No período, Turquia e Rússia se destacam com crescimento nos embarques recebidos do Brasil, respectivamente de 26,9% (774.108 sacas) e 3% (817.861 sacas).
 
Diferenciados
 
Os cafés diferenciados atingiram 3.900.950 no acumulado do ano civil (de janeiro a outubro de 2017). Os principais destinos, no período, foram: Estados Unidos
(855.297 sacas), Alemanha (540.778 sacas), Bélgica (486.017 sacas), Japão (388.328 sacas) e Itália (342.663 sacas).
 
Preços
 
No ano civil (de janeiro a outubro de 2017), o preço médio foi de US$ 170,33, um crescimento de 10,7%, na comparação com o mesmo período no ano passado, quando a média havia ficado em US$ 153,88.
 
Portos
 
De janeiro a outubro de 2017, o Porto de Santos liderou a concentração da maior parte das exportações, com 85,2% (21.088.182 sacas). O Porto do Rio de Janeiro aparece na sequência, com 10,6% dos embarques (2.624.031 sacas).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink