Exportações de café vão atingir recorde no ano

Agronegócio

Exportações de café vão atingir recorde no ano

O país deverá somar 32,5 milhões de sacas comercializadas, com valor superior a US$ 5,5 bilhões
Por: -Mauro Zafalon
1234 acessos

As exportações brasileiras de café vão ser recordes neste ano. No ritmo em que as vendas externas seguem, o país deverá somar 32,5 milhões de sacas comercializadas no exterior, com valor superior a US$ 5,5 bilhões.

No ano passado, as exportações somaram 30,3 milhões de sacas, no valor de US$ 4,3 bilhões.
Guilherme Braga, diretor-geral do Cecafé (Conselho Brasileiro dos Exportadores de Café), diz que, se neste mês for mantido o ritmo de vendas de outubro (3,4 milhões de sacas), as exportações do país superarão 10 milhões de sacas apenas entre setembro e novembro.

E as previsões de Braga devem se confirmar, pois os mais recentes dados de exportações da Secex indicam receitas de US$ 616 milhões para este mês, valor próximo do recorde de US$ 638 milhões de outubro.

A maior presença do Brasil no mercado internacional se deve ao recuo das exportações de países tradicionais, como a Colômbia. Apesar da boa safra brasileira, os preços não tiveram tendência de baixa, segundo Braga. "A demanda sustentou [o preço]."

O executivo do Cecafé diz que o mercado mostra tendência de preços firmes para o café. Os chamados fundamentos de mercado são positivos: a demanda está aquecida, a oferta é menor e o consumo é crescente. Ele não acredita em grandes quedas nos preços do produto.

A alta de preços beneficia o produtor interno, já que 90% do valor FOB (Free On Board) das exportações são repassados internamente.

Apesar desse aumento, o produtor está perdendo a possibilidade de se capitalizar ainda mais.
Os custos internos, como mão de obra, são em reais -e vêm subindo. Já as receitas das exportações, em dólares, acabam sendo menores devido à valorização da moeda nacional.

Ritmo menor A compra de soja no mercado futuro pelos fundos perdeu ritmo. Os dados mais recentes da CFTC (Commodity Futures Trading Comission) indicavam 160 mil contratos líquidos (saldo entre comprados e vendidos), 18% menos do que na semana anterior.

Preços Os produtores que fizeram vendas escalonadas de soja em 2010 tiveram bom retorno, na avaliação da consultoria Céleres. Os produtores de Rondonópolis (MT) que venderam a soja logo após a colheita receberam R$ 25,10 por saca. Em meados do ano, os valores estavam entre R$ 33,80 e R$ 36,40.

Na China A DVA, grupo alemão especializado em insumos para agricultura, inaugura laboratório de controle de qualidade de matérias-primas para agroquímicos na China. O objetivo é fortalecer ainda mais a unidade brasileira da DVA, que centraliza as pesquisas e o desenvolvimento de defensivos agrícolas.

Livro A sintonia entre direito e economia é o tema do livro "Direito do Agronegócio: Mercado, Regulação, Tributação e Meio Ambiente", que será lançado em dezembro, na BM&FBovespa.

Artigos A publicação reúne artigos de 30 especialistas sobre o tema e é coordenada pelos advogados Renato Buranello e André Passos, do escritório Buranello-Passos, e Ecio Perin Jr., do Ibrademp (Instituto Brasileiro de Direito Empresarial).

Trigo e saúde Os bons resultados sobre a importância do trigo fizeram a Abitrigo estender a campanha da agência Agnelo Pacheco até o final de janeiro.

Com KARLA DOMINGUES

ALGODÃO
-1,21%
Ontem, no mercado interno

ESTANHO
-4,96%
Ontem, em Londres

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink