Exportações do complexo soja podem ser recorde

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia nossos Termos de Uso e Termos de Privacidade. Ao clicar em Aceitar & Fechar, você consente com a utilização de cookies.


CI
Imagem: Ivan Bueno/APPA
DATAGRO

Exportações do complexo soja podem ser recorde

Números corroboram tendência de aumento do setor no comércio exterior
Por: -Leonardo Gottems

As exportações do chamado “complexo soja”, que inclui grão, farelo e óleo podem ser recordes no Brasil nesta no, aponta análise da Consultoria DATAGRO. A estimativa para os embarques totais em 2021 é de 104,3 milhões de toneladas, o que representaria aumento de 2,8% na comparação com os 101,4 mi/t (revisto e fechado) do ano passado.

De acordo com a DATAGRO, os números que corroboram a tendência de aumento da representatividade do setor no comércio exterior do País: “Para chegar a esse total recorde, considera-se a previsão de embarques de 85,5 mi t de soja, com 2,5% de elevação; de 18 mi t de farelo de soja (+6,1%) e o volume de 850 mil t de óleo de soja, com 23,4% de retração sobre 2020”.

“Em função dessa boa previsão de incremento no volume total a ser embarcado, a DATAGRO indica que a receita total a ser obtida nas exportações do complexo soja brasileiro em 2021 seja novamente expressiva e, provavelmente, acima do recorde de 2018, totalizando US$ 43,115 milhões, 21,8% superior à receita de 2020. Seriam US$ 34,200 milhões decorrentes das vendas de soja em grão (+19,1%); US$ 8,010 milhões das vendas de farelo (+35,3%) e US$ 905 mil das vendas de óleo (+18,9%)”, aponta a Consultoria.

Ainda de acordo com a DATAGRO, a tendência é que haja aumento da participação do complexo soja na pauta geral de exportações do País. “Para uma receita total projetada atualmente em US$ 221,150 milhões, o setor contribuiria com 19,5%, proporção bem acima dos 16,9% de 2020 e dos 17% do recorde de 2018, superando com folga os 13,8% da média dos últimos 10 anos”, concluem os analistas.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink