Faeg aponta crescimento tímido da área plantada em Goiás

Agronegócio

Faeg aponta crescimento tímido da área plantada em Goiás

Safra neste ano será influenciada por condições financeiras e de rentabilidade limitadas
Por:
667 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Safra neste ano será influenciada por condições financeiras e de rentabilidade limitadas

Com a chegada das chuvas em todo o estado, produtores goianos estão as vésperas de iniciarem o plantio da safra 2016/2017. De acordo com levantamento da Federação da Agricultura Pecuária de Goiás (Faeg), Goiás atingirá uma área plantada de aproximadamente 3,35 milhões de hectares – 1% a mais em relação à safra anterior. Desse total, até o início da semana, cerca de 13% já foi plantado, porém o avanço do plantio segue em cautela, já que as previsões de temperaturas estão elevadas e os volumes de chuvas ainda são menores. 

De acordo com o assessor técnico da Faeg, Cristiano Palavro, a safra neste ano será influenciada por condições financeiras e de rentabilidade limitadas. “A expectativa é de um crescimento mais tímido na área plantada do estado”, relata. Goiás é o quarto maior produtor de soja do país. 

Já o milho verão, que nos últimos anos vem perdendo áreas para o avanço da soja, as expectativas são de crescimento nesta safra. “Isso se dá em função de um mercado mais aquecido para o cereal, que influenciado pelas graves perdas de produção na safrinha passada e consequente escassez no mercado interno, está com preços bem acima dos níveis históricos”, destaca Palavro. Em Goiás por sua vez, é esperado um pequeno crescimento na área plantada de milho, elevando a área plantada para cerca de 260 mil hectares, segundo análise da Faeg.

Produção nacional 

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), publicou o primeiro levantamento da safra 2016/17, estimando limites superiores e inferiores para a área plantada esperada para cada cultura. Segundo a Conab, o Brasil deve plantar uma área total de grãos variando de 58,4 a 59,6 milhões de hectares, com destaque para a soja que alcançará uma área de 33,4 e 34,1 milhões de hectares – um crescimento de 0,6 a 2,7% em relação ao ano passado. 

No lado do mercado, o cenário para a soja traz algumas preocupações, já que os preços da oleaginosa no mercado futuro já tiveram quedas expressivas em relação aos últimos meses. “Mesmo com uma demanda em crescimento e bastante agressiva, o volume recorde produzido pelos Estados Unidos nesta safra que está sendo colhida neste momento tem pressionado negativamente o mercado mundial, já que são esperadas elevações nos estoques do grão”. Os americanos vivenciam uma safra considerada excelente em 2016, com expectativa de colheita de 116 milhões de toneladas de soja, resultado nunca antes alcançado, segundo os dados do Departamento Americano de Agricultura (USDA). 

No Brasil, ainda é cedo para determinar como serão os resultados da produção, já que a agricultura vive uma dependência dos fenômenos climáticos. “Até o momento as expectativas são de um clima mais regular nesta safra, com chuvas melhor distribuídas durante o período produtivo. Porém o clima é muito variável, e isso pode mudar durante o ciclo das culturas. Em Goiás o plantio de verão ainda segue até o final do mês de novembro, e se o clima cooperar, teremos boas condições de superar a produção dos últimos anos”, avalia o assessor técnico.   

 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink