FAEMG expande Café+Forte na região do Cerrado

Agronegócio

FAEMG expande Café+Forte na região do Cerrado

O encontro faz parte do projeto de implantação do programa na região do Cerrado mineiro
Por:
2036 acessos

O encontro faz parte do projeto de implantação do programa na região do Cerrado mineiro

Explicar o programa Café+Forte, desenvolvido pela FAEMG, e sensibilizar novos cafeicultores sobre sua importância na gestão dos custos de produção e identificar o melhor momento para a venda da colheita, foram os objetivos da reunião da equipe do programa com os cafeicultores de Carmo do Paranaíba. O encontro faz parte do projeto de implantação do programa na região do Cerrado mineiro, importante produtora de café.

A analista de agronegócios da FAEMG e coordenadora do Café+Forte, Ana Carolina Gomes, disse que Carmo do Paranaíba foi o primeiro município do Cerrado a firmar parceria com a FAEMG, por meio do Sindicato dos Produtores Rurais, para que os cafeicultores se inscrevam no programa: “Em cinco anos percebemos evolução importante dos produtores nas demais regiões, que estão no programa desde o início. O Cerrado mineiro é tradicional produtor de café e queremos fortalecer os produtores, por meio da gestão de custos, adoção de novas tecnologias”. Segundo Ana Carolina, desde sua criação, o Café+Forte possibilitou a vários cafeicultores melhorar a produtividade, rentabilidade e, com isso, a qualidade de vida da família.

Patos de Minas e Monte Carmelo

A equipe do Café+Forte também se reuniu com a diretoria dos sindicatos dos produtores rurais de Patos de Minas e de Monte Carmelo para viabilizar novas parcerias nestes municípios e expandir sua atuação no Cerrado Mineiro. “Estas visitas são importantes para levarmos mais informações sobre o programa para os produtores e auxiliá-los no fortalecimento de seus negócios”, diz Ana Carolina.

Desenvolvido nas regiões Sul e Matas de Minas, o programa já mudou a vida de muitos cafeicultores: “O principal ganho que temos tido é que o produtor, entendendo a forma de elaborar o custeio, muda suas práticas na condução de seu negócio e começa a pensar suas atitudes na busca de competitividade, envolvendo toda a família no trabalho”, diz Hélcio Lopes, consultor da FAEMG. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink