Falta de adubo impede plantio em Sinop (MT)
CI
Agronegócio

Falta de adubo impede plantio em Sinop (MT)

Chuvas que caíram na região norte nos últimos dias já possibilitam a alguns produtores iniciar o plantio de soja
Por:
As chuvas que caíram na região norte nos últimos dias já possibilitam a alguns produtores iniciar o plantio de soja, pois muitas áreas foram bastante irrigadas e o solo está propício para receber as sementes. Porém, agora os sojicultores, principalmente de Sinop (503 quilômetros ao norte de Cuiabá), enfrentam um outro problema: a falta de adubo. Mesmo aqueles que tiveram acesso a crédito e conseguiram fechar negócio com as revendas não receberam o fertilizante devido a um atraso na distribuição do insumo.

O agricultor Leonildo Barei diz que só não iniciou o plantio porque ainda não pôde preparar a terra. “Tem gente que planta e depois joga adubo por cima da soja. Eu não faço isso, porque considero uma loucura. O adubo tem que estar na base para a semeadura. Só assim se tem uma garantia melhor de produtividade boa. E na minha área só falta fazer essa base, mas sem o adubo sou obrigado a ficar parado”.

As revendas de insumos na região explicam que o atraso não é responsabilidade das empresas. O gerente de uma revenda que atende Sinop, Ipiranga do Norte e Itanhangá explica que o atraso das suas entregas foi causado pela demora da distribuição feita pelas multinacionais. “A empresa me informou que os navios que transportavam o adubo demoraram a chegar aos portos brasileiros. Mas temos a garantia de que na próxima semana essa situação será regularizada. Neste ano a situação foi atípica, pois em 2007, nesse período, o adubo já estava entregue há 60 dias”.

Essa revenda comercializou cerca de oito mil toneladas de adubo para a safra 2008/2009 de soja. A justificativa de uma outra revenda que atendeu Sinop e Sorriso (460 quilômetros ao norte de Cuiabá) com 14 mil toneladas é de que não houve atraso na distribuição, mas adiantamento do início do plantio. “A cada ano o plantio começa mais cedo. Há uns quatro anos ninguém pensava em plantar em 1º de outubro, mas no dia 8, por exemplo. E oito dias para a distribuição de grandes quantidades do produto é muita coisa. Como a cada safra os produtores começam mais cedo, até porque o clima sempre adianta a chuva também, o que acontece é que agora as multinacionais e revendas precisam se adaptar a esse adiantamento. O que não acontece de uma hora para outra. Mas nos próximos dez dias tudo estará normalizado”.

O presidente do Sindicato Rural de Sinop, Antônio Galvan, confirma que muitos agricultores do município continuam sem receber adubo. “Eu sou um que ainda não recebeu. A promessa das revendas é que até o fim da semana chega. Mas estão falando isso já tem uns 15 dias. Enquanto isso, não podemos trabalhar. Inclusive nessa semana eu falei com um produtor de Sinop que, normalmente, planta seis mil hectares e ele disse que neste ano vai plantar quatro mil, justamente porque não recebeu adubo suficiente para toda a área”.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.