Fazenda da Bahia recebe selo Ouro do Programa de Boas Práticas Agropecuárias

Agronegócio

Fazenda da Bahia recebe selo Ouro do Programa de Boas Práticas Agropecuárias

Depois de duas vistorias e dentro de um período de apenas seis meses, a Fazenda Trijunção recebeu o Selo BPA Ouro do Programa Boas Práticas Agropecuárias (BPA).
Por:
2631 acessos

Depois de duas vistorias e dentro de um período de apenas seis meses, a Fazenda Trijunção – Santa Luzia, em Cocos (Bahia), recebeu o Selo BPA Ouro do Programa Boas Práticas Agropecuárias (BPA) – Bovino de Corte, da Embrapa, estando entre as propriedades que se enquadram dentro do conjunto de normas e de procedimentos do Programa, que têm como finalidade tornar os sistemas de produção mais rentáveis e competitivos, além de assegurar a oferta de alimentos seguros, provenientes de sistemas de produção sustentáveis.
 
O gestor do BPA, o pesquisador da Embrapa Gado de Corte Ezequiel do Valle, explica que a fazenda já tinha vários pontos em conformidade com o Programa, então as adequações ocorreram rapidamente. "Como o proprietário da fazenda já tinha essa consciência, agilizou o processo em um período de tempo curto. Tanto a parte ambiental, como a parte social e trabalhista já eram uma preocupação do grupo que comanda a propriedade", diz.
 
A assessoria de imprensa da Embrapa Gado de Corte conversou com o gerente administrativo da Trijunção, Allan Figueiredo. Veja abaixo:
 
Embrapa Gado de Corte: Desde quando a propriedade começou a se adequar ao BPA?
Allan: A Fazenda Trijunção sempre teve uma cultura de seguir padrões que garantem uma eficiência produtiva, comprovados pela academia, como forma de minimizar a influência dos riscos que estão fora do nosso controle: mercado e clima. Já nos aspectos sociais e ambientais, também é uma premissa da fazenda que estejamos dentro de todas as conformidades determinadas em lei com o intuito de gerarmos o menor impacto ambiental possível, um agradável e respeitoso ambiente de trabalho, assim como servir de modelo aos produtores da região a qual nos inserimos e/ou temos contato. Por conta disso, o processo de adequação deu-se em um curto prazo. Elaboramos nosso plano de ação em 14 de dezembro de 2015. Na terceira semana de junho de 2016, estávamos fazendo a auditoria.
 
Embrapa Gado de Corte: O que levou os proprietários da fazenda a aderirem ao BPA?
Allan: Procuramos a Embrapa e seu programa BPA para, além de reconhecer o trabalho realizado na Trijunção, buscar e absorver novas boas práticas que antes não eram aplicadas na propriedade, visando ganhos porteira adentro.
 
Embrapa Gado de Corte: Quais as principais vantagens verificadas após a adoção do BPA?
Allan: A intensificação do treinamento dos colaboradores foi sem dúvida um diferencial no dia a dia da fazenda. Para a adequação ao BPA, lançamos mão de alguns cursos que nunca haviam sido realizados. Destaco o curso de Manejo Racional, que mudou bastante o trabalho em curral, melhorando a qualidade de vida dos vaqueiros e o bem-estar animal que também afeta nos índices produtivos e econômicos do rebanho.
 
Embrapa Gado de Corte: Qual o ponto mais importante do BPA para a gestão da fazenda?
Allan: Acreditamos que um dos pontos do BPA de maior impacto no resultado de uma fazenda sejam os registros e controles zootécnicos do rebanho. Sem dados como esses, o produtor não tem informação necessária para uma tomada de decisão sólida que possa lhe dar vantagem verdadeira. Outros pontos de grande impacto também são o estabelecimento de uma estação de monta e o orçamento forrageiro com planejamento estratégico.
 
Embrapa Gado de Corte: Como se sentem pelo reconhecimento alcançado com o selo Ouro do BPA?
Allan: Receber a notícia do laudo após a auditoria é recompensador. Sentimos em toda a equipe uma motivação por ter seu trabalho reconhecido e saber que trabalham em um ambiente que pode servir de modelo de propriedade agropecuária. Esperamos que o Programa venha a crescer cada vez mais para difundir o bom conhecimento aos nossos produtores, tão carentes, e fortalecer a cadeia brasileira.
 
BPA
 
Com 11 anos de existência, o BPA visa desenvolver e promover a implantação das boas práticas nas propriedades rurais da cadeia produtiva da pecuária de corte. O Programa busca adequar o campo às tecnologias e à utilização de práticas de produção com foco na eficiência produtiva e na sustentabilidade.
 
O manual de Boas Práticas Agropecuárias – Bovinos de Corte (BPA) contém os principais pontos a serem observados pelos produtores rurais visando garantir a rentabilidade e a competitividade dos sistemas produtivos como: gestão da propriedade rural, função social do imóvel rural, gestão dos recursos humanos, gestão ambiental, instalações rurais, manejo pré-abate, bem-estar animal, pastagens, suplementação alimentar, identificação animal, controle sanitário e manejo reprodutivo. Para saber mais sobre o BPA acesse: http://cloud.cnpgc.embrapa.br/bpa/

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink