Feijão caupi é alternativa viável e lucrativa no Centro-Oeste
CI
Agronegócio

Feijão caupi é alternativa viável e lucrativa no Centro-Oeste

Já são aproximadamente de 50 mil hectares plantados com o grão em Mato Grosso, que exporta para oito países
Por:

O hábito sertanejo de ter à mesa o feijão caupi está atravessando fronteiras geográficas e culturais com ajuda da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Pesquisadores da Empresa desenvolveram dez novas cultivares do feijão - que possui alto valor nutricional - e estão sendo multiplicadas e comercializadas com sucesso também no Centro-Oeste.

O produtor Moacir Tomazetti foi um dos pioneiros no cultivo do feijão caupi na região, a partir de Primavera do Leste/MT, onde está estabelecido desde 1994. No próximo ano, o empresário pretende produzir dois milhões de sacos com ajuda de variedades da Embrapa testadas na região. O sementeiro já pensa em abandonar a soja para dedicar-se exclusivamente ao caupi, “uma realidade viável e lucrativa no Centro-Oeste”, avalia. Já são aproximadamente de 50 mil hectares plantados com o grão em Mato Grosso, que exporta para oito países, informa.

Nordeste

As novas variedades desenvolvidas pela Embrapa Meio Norte e Agroindústria Tropical estão sendo multiplicadas pelo Escritório de Negócios da Embrapa Transferência de Tecnologia em Petrolina (PE) e até o final do ano estarão disponíveis para o agricultor familiar. Além de representar alternativa de renda para o nordestino, a oferta das cultivares deverá incrementar o consumo do feijão-de-corda - como também é conhecido, entre os tradicionais usuários do alimento, que é fonte de proteínas e fibras.

A tradição nordestina vinha perdendo força com a crescente oferta, na região, do feijão tipo carioca – aquele que dá caldo e é preferido nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, explica o gerente do Escritório, Lázaro Eurípedes Paiva. Segundo informa, a redução do consumo de feijão Caupi no Nordeste é de 10 a 12 %, especialmente nos estados da Bahia e Ceará. “Com as dez variedades de caupi esperamos resgatar espaço na lavoura e na mesa do nordestino”, diz.

Ainda este ano, de acordo com o gerente geral da Embrapa Transferência de Tecnologia, José Roberto Rodrigues Peres, serão distribuídas mil toneladas de feijão caupi a agricultores familiares cadastrados pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A ação está prevista em convênio firmado entre a Secretaria de Agricultura Familiar (SAF/MDA), Instituo Agronômico de Pernambuco (IPA) e a Embrapa. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.