Fepagro capacita técnicos para atuar no Dissemina
CI
Agronegócio

Fepagro capacita técnicos para atuar no Dissemina

A iniciativa faz parte do “Programa Carne Gaúcha, A Melhor Carne do Mundo” lançado, recentemente, pelo governo do Estado
Por:
Buscando qualificar a carne gaúcha para conquistar os mercados nacional e internacional, a Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro) e a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa) criaram o Programa Estadual de Incremento da Qualidade Genética da Pecuária de Carne e Leite (Dissemina). Os responsáveis técnicos que atuarão nos municípios participam, nesta terça e quarta-feira (14 e 15/2), do primeiro curso preparatório do Dissemina. A iniciativa faz parte do “Programa Carne Gaúcha, A Melhor Carne do Mundo” lançado, recentemente, pelo governo do Estado.


A abertura do evento contou com as presenças de Danilo Rheinheimer, diretor-presidente da Fepagro, Mário Antônio de Freitas Oliveira, coordenador do programa, Adriana Taroco, pesquisadora da fundação e Francisco Ortiz, veterinário com grande experiência na área.


Rheinheimer falou sobre a história da Fepagro e o que o governo do Estado pretende com o programa. O diretor-presidente da Fepagro falou sobre as idéias principais do projeto, que visa estimular o incremento da qualidade genética da pecuária de carne e leite em sistema de agricultura e pecuária familiar do Estado.


- Este programa tem um âmbito social, não é um projeto de pesquisa. É uma forma de levar a tecnologia de inseminação artificial para as cidades que não possuem métodos de qualidade – salientou Rheinheimer.

O Dissemina tem uma proposta ousada até 2014. Entre elas atingir 150 municípios do Estado; distribuir 300 mil doses de sêmen; treinar responsáveis técnicos indicados pelas prefeituras municipais e apresentar anualmente os resultados do programa.

O projeto irá disponibilizar novas tecnologias aos pecuaristas, por meio do Centro de Biotécnicas Reprodutivas (CBR), formado pela Central Riograndense de Inseminação Artificial (CRIA) e Central Riograndense de Tecnologias de Embriões (CRTE).

- A atuação do CBR será uma excelente fonte de pesquisa aplicada. Nós gostaríamos de contar com o apoio de cada prefeitura, pois ele viabilizará muitos de nossos estudos – afirma Adriana Tarouco.

Estiveram presentes representantes de Aceguá, Bagé, Bom Jesus, Candiota, Canguçu, Capão do Leão, Cerrito, Hulha Negra, Jaquirana, Monte Alegre dos Campos, Pedro Osório, Santana do Livramento e São Francisco de Paula.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.