Fepagro realiza pesquisas para a melhoria da saúde de animais de estimação

Agronegócio

Fepagro realiza pesquisas para a melhoria da saúde de animais de estimação

Fepagro e IPVDF colocam-se a disposição para análise de tumores mamários
Por:
600 acessos
Fepagro e IPVDF colocam-se a disposição para análise de tumores mamários
No intuito de auxiliar na rotina dos clínicos veterinários, o laboratório de Histopatologia da Fepagro e do Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor (IPVDF) colocam a disposição o serviço de análise histopatológica de tumores mamários, pesquisa esta implantada com a chegada da Dra. Angélica Bertagnolli, patologista com doutorado na área de Patologia Mamária.

Os tumores mamários são freqüentes nas cadelas e representam um problema importante na Medicina Veterinária. Eles podem ser únicos ou múltiplos, benignos (lesões não cancerosas) ou malignos (cânceres) e geralmente ocorrem em animais de meia idade a idosos.

A retirada cirúrgica da massa tumoral geralmente é curativa nos casos de tumores benignos e nos casos de tumores malignos em estádio precoce (pequenos, localizados e bem diferenciados). Cães com tumores malignos em estádio clínico avançado (grandes, com alto grau de malignidade e com maior chance de se disseminar para outros locais) podem se beneficiar de terapias complementares como a quimioterapia.

Para determinação do tratamento mais adequado para cada caso e da evolução clínica do animal, é necessário que todo o cão com lesões mamárias seja submetido a uma avaliação clínica por um médico veterinário. Além disso, a análise microscópica (histopatológica) do tumor e dos linfonodos regionais (axilares e inguinais) retirados na cirurgia deve ser realizada. O diagnóstico traz informações a respeito do caráter benigno ou maligno da lesão, o grau de malignidade do tumor, a adequação das margens cirúrgicas de segurança, o comprometimento de estruturas adjacentes ao tumor e a disseminação de células tumorais para os linfonodos regionais.

Para a realização do exame as amostras devem ser encaminhadas em formol tamponado a 10% ou resfriadas (entre 2°C e 5°C por até 24 horas) e acompanhadas de histórico completo do animal. É importante que dados como: idade, sexo, raça, realização de castração, uso de medicamentos abortivos ou anticoncepcionais, tamanho e localização das lesões, tempo de evolução das lesões e ocorrência de lesões anteriores sejam informadas no histórico.

Quaisquer dúvidas quanto ao encaminhamento das amostras e resultados podem ser esclarecidas pelo email angelica-bertagnolli@fepagro.rs.gov.br ou pelo telefone 51 - 3481 3711.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink