Ferrugem ataca soja tardia em Mato Grosso
CI
Agronegócio

Ferrugem ataca soja tardia em Mato Grosso

Expedição constatou forte presença de ferrugem na região sul de Mato Grosso
Por:

A expedição técnica para avaliação da ferrugem asiática da soja feita essa semana, constatou forte presença de ferrugem em lavouras cultivadas com variedades de ciclo tardio na região sul de Mato Grosso. "Apesar de todo esforço, a ferrugem evoluiu muito em lavouras de soja remanescente, mesmo em locais onde foram feitas até quatro aplicações de fungicidas", constatou o doutor José Tadashi Yorinori, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa CNPSO) e PhD em fitopatologia. A expedição foi organizada pela Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja).

Segundo Tadashi, a forte presença da ferrugem na região sul de Mato Grosso levantou diversas dúvidas. "Temos que estudar e pesquisar porquê mesmo com as aplicações a ferrugem avançou. É algum problema ligado à tecnologia de aplicação, ao produto ou a fatores adversos como excesso de chuvas?", questiona. Outra hipótese levantada, é a falha na comunicação da data exata da aparição do primeiro foco em Primavera do Leste. "Existem contradições sobre isso. Quando o primeiro foco foi contatado deveria ter havido uma comunicação exata para avaliação mais minuciosa", explica.

No começo de abril deste ano, Tadashi e Aprosoja irão reunir os técnicos que cuidam das lavouras para fazer avaliação geral da ferrugem. "De um modo geral, existe satisfação com os avanços obtidos após a implantação do Vazio Sanitário. No entanto, devido a última constatação vamos nos reunir para verificar se existe necessidade de implantação de medidas adicionais ao Vazio", prevê Tadashi.

Apesar do alastramento da Ferrugem, Tadashi avalia que a perda real será de cerca de 10%, já que as lavouras precoces tiveram poucos problemas. "A perda será em torno de 5 a 10 sacas por hectare", contabiliza Tadashi que segue na expedição nesta sexta-feira (02-03) em Campo Verde e retorna à Primavera do Leste neste sábado.

A equipe formada por Embrapa, Aprosoja e Instituto da Defesa Agropecuária (Indea/MT) e Ministério da Agricultura (Mapa) começou a expedição técnica na Serra da Petrovina no dia 28 de fevereiro.

Tecnocampo - Campo Verde sedia nos dias 2 e 3 de março a terceira etapa do Tecnocampo, evento que envolve debates políticos e tecnológicos realizado pela Fundação de Apoio à Pesquisa de Mato Grosso (Fundação MT) em parceria com a Aprosoja. Os dias de campo e a feira tecnológica serão realizados na fazenda Filadélphia.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink